Liberou geral | Fábio Campana

Liberou geral

Gilmar Mendes: “Assim, tenho que o risco à ordem pública, conveniência da instrução processual e a garantia da aplicação da lei penal podem ser mitigados por medidas cautelares diversas. Não vejo, no caso, razões a justificar a restrição da liberdade de locomoção do paciente”.
Augusto Nunes: “Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, na decisão que libertou Átila Jacomussi (PSB), prefeito de Mauá, flagrado com R$ 80.000 escondidos numa panela na cozinha de casa, mostrando que o libertador de culpados em ação no STF não discrimina partidos”.


2 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 19 de junho de 2018 – 14:29 hs

    Passa da hora submeter Gilmar Mendes aos mesmos exames psicológicos aplicados na Suzane Von Richtofhen, aquela, patricida e matricida. O homem a supera em periculosidade.

  2. VISIONÁRIO
    quarta-feira, 20 de junho de 2018 – 7:12 hs

    O Gilmar Mendes é igualzinho à Suzane, ou com certeza pior.
    Um cara que ocupa o cargo no STF e colabora com a bandidagem
    tem peso muito maior do que ser um bandido. O que mais me im-
    pressionou é que o Gilmar Mendes fora indicado pelo FHC e não
    preencheu nenhum pré requisito para ocupar um cargo tão impor-
    tante. Forças ocultas colocaram este bandido por lá… Assim, o FHC
    que hoje posa de mocinho tem seus “laços” com o louco Mendes.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*