Vigília enfraquece, tensão sobe | Fábio Campana

Vigília enfraquece, tensão sobe

Os pequenos movimentos que acontecem diariamente no acampamento em frente à PF em Curitiba mostram dois aspectos relevantes do lugar: na medida em que a vigília perde força, a impaciência do entorno cresce.
Diariamente, discussões, brigas, desentendimentos e pedidos pela retirada dos manifestantes são registrados. No dia 07 de abril, eram 500 acampados; desde o dia 17 são cerca de 70 – mas o número não diminuiu por conta dos pedidos de remoção, é fato que o PT e aliados estão encontrando dificuldade em manter a plateia e com as temperaturas do outono, a baixa ainda deve ser maior.
Para manter a chama de apoiadores acesa, os que continuam fazem mais barulho, o que provoca mais irritação aos moradores do lugar. É uma tensão que cresce e que parece anunciar problemas ainda maiores.

(Foto: Google/Reprodução)


9 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 11:58 hs

    A chegada do inverno vai mandar embora o que restou. Alguns dias de geadas, ventos polares e garoa gelada vão acabar com o ímpeto dessa turma.

  2. Ein Sof
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 12:01 hs

    Fico imaginando que inferno é viver no meio disto.
    Não me lembro exatamente quem foi que disse, nem mesmo da frase original, mas algum pensador disse o seguinte (a frase provavelmente não é essa, mas o sentido é):

    O grau de civilização de uma pessoa é inversamente proporcional à sua tolerância ao barulho.

    Se isso for verdade (e meu convívio social vive atestando isso), temos bem pouca gente civilizada por aqui…
    Começa com os idiotas com som alto, passa pelos idiotas que buzinam nas ruas por causa de vitória de times de futebol, passa pelos retardados com carros e motos barulhentos, e termina aí…. em um bando de gente não civilizada incomodando quem nada tem a ver com o peixe.
    Acho que a frase é do Ortega y Gasset; Mas não tenho certeza.

  3. Ein Sof
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 12:27 hs

    Tomara, Doutor Prolegômeno.

  4. tadeu rocha
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 12:28 hs

    COMO PODE ESSA GENTE FICAR ASSIM POR 35 REAIS, É UMA VERGONHA, VÃO EMBORA PORQUE LULA VAI SAIR DAQUI 12 ANOS COM CERTEZA , SENADORA QUE HOUVE, ESTA PREPARANDO PARA IR JUNTO COM ELE SERÁ.

  5. Celso
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 13:21 hs

    Ein Sof, o autor da frase é Arthur Schopenhauer.

  6. sara carvalho
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 14:29 hs

    Uma verdade é histórica. Habitantes da República de Curitiba têm um privilégio. Só se cria aqui quem trabalha, enfrenta o frio, a chuva, a rotina, a jornada e se preocupa com o resultado e o bem estar. Desocupados acostumados com o verão e a boa vida não se criam. Aqui é lugar de formiga e não de cigarra! Quem não contribui com trabalho e não agrega valor, que volte lá “para cima”. Encosto social aqui não tem vez!

  7. VISIONÁRIO
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 16:04 hs

    O Lula foi preso bem na hora certa. Todo mundo de saco cheio,
    Gleisi buscando a nova candidatura… e o belo inverno Curitibano
    chegando. Tomara que a geada deste ano seja intensa e que chegue
    de repente. Assim esta turminha do mal deve pensar que é melhor
    curtir o sol do Rio ou Bahia… Mortadela todo dia enjoa mesmo.

  8. BETO
    segunda-feira, 7 de maio de 2018 – 16:23 hs

    Corja de vagabindos. Bando de desocupados sustentados pelo PT e Sindicalistas pelegos.

  9. RR
    terça-feira, 8 de maio de 2018 – 12:57 hs

    MEIA DÚZIA DE VAGABUNDOS,ISSO SE RESOLVE COM,FORÇAS ARMADAS,FUZIL E BAIONETA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*