Copel esclarece | Fábio Campana

Copel esclarece

A Copel enviou ao blog Nota de Esclarecimento sobre a denúncia que envolve a empresa e sua relação com a Bertin Energia. É o que segue:

Nota de Esclarecimento

– A Copel nunca recebeu do Governo do Estado pedido ou orientação para aquisição do Complexo Termoelétrico Aratu ou qualquer outro empreendimento ou ativo. A empresa tem administração independente e autonomia em suas decisões, vinculadas a protocolos de governança inerentes à regulação do setor elétrico, Comissão de Valores Mobiliários, Securities Exchange Commission e Lei Sarbanes Oxley (a Copel está listada na Bolsa de Nova Iorque), além de toda a legislação aplicável.

– Sobre o Complexo Aratu, informamos que, em 5 de março 2012 a Copel lançou a Chamada Pública 003/2012 para buscar oportunidades de negócios na área de energia.

– A Chamada teve inscrições encerradas em 14 de janeiro de 2014 e foram analisados 32 projetos de diversas empresas de todo o Brasil, entre eles dois da Bertin Energia, referentes ao Complexo Termoelétrico Aratu e à Usina Térmica Borborema.

– O Grupo de Trabalho responsável pelas análises emitiu parecer pela não aquisição de nenhum dos 32 projetos por não se enquadrarem nos critérios técnicos, regulatórios ou financeiros estabelecidos pela Chamada Pública.

– A Copel enviou à Bertin Energia carta de encerramento de oportunidade da Usina Térmica Borborema em 25 de abril de 2013 e do Complexo Termoelétrico Aratu em 31 de julho de 2014.

– Ou seja, os ativos da Bertin Energia oferecidos na Chamada Pública não foram adquiridos pela Copel.

– Adicionalmente, informamos que a Copel não tem parcerias nem nunca adquiriu ativos da Bertin Energia.
Companhia Paranaense de Energia


4 comentários

  1. Nilton
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 16:48 hs

    Pra piorar mentiu pra engabelar o cara. tipico de político.

  2. JUSTICEIRO
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 16:51 hs

    A COPEL falta com a verdade ao afirmar que tem administração independente e autonomia em sua administração. Se assim fosse sua diretoria composta por Presidente e demais diretores da empresa não teriam sido designados pela Governadora como aconteceu na segunda quinzena de abril desse ano.São cargos de escolha totalmente politica. E diga-se de passagem quase sempre os escolhidos são ligados a políticos sempre atrás de uma “boquinha” na administração pública, seja ela qual for, sem nenhuma experiência em empresas de administração privada. Por outro lado,a nota divulgada pela COPEL não merece nenhuma credibilidade pois contradiz as denúncias apresentadas em que figuram, inclusive a Odebrecht já que nessa brincadeira a mesma perdeu R$ 2.500 milhões.

  3. luiz carlos
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 17:26 hs

    Enfim corrupção é um crime formal, ninguém precisa receber nada, basta aceitar o acordo para beneficiar a si ou a terceiros, isso ficou evidente, independente do resultado..

  4. João sem teto
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 17:56 hs

    Tem que fazer um pente fino nas aquisição da Queiroz Galvão e nas chamadas para as PCHs

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*