A autorização de Geisel e os políticos | Fábio Campana

A autorização de Geisel e os políticos

Ontem, chegou às manchetes um memorando de abril de 1974 assinado por Colby com a informação de que Ernesto Geisel (1974-1979) mantinha a política de “execução sumária” de opositores do regime militar praticada por Medici, seu antecessor.
Parece que o assunto se tornou um monopólio dos políticos que hoje se dizem representantes da esquerda. Com fatia do país a considerar militares no poder, falar sobre o absurdo de um regime de privações de pensamentos e ações civis, parece não ser um bom negócio para quem quer pinçar, ainda que democraticamente, estes votos.
No entanto, é sempre bom lembrar das palavras do articulista português José Pedro Teixeira Fernandes “as democracias ocidentais, bem como todas as sociedades livres, abertas, democráticas e respeitadoras dos direitos humanos no mundo devem lembrar: os seus valores não podem nunca ser dados como adquiridos”.


4 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 11:59 hs

    Contaram o milagre, mas não disseram o santo. Os EUA não revelaram a fonte que contou o que viu. Quem seria? A história não ficará completa sem saber que eram os espiões americanos na ditadura.

  2. RR
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 12:54 hs

    MATARAM SÓ MEIA DÚZIA DOS VAGABUNDOS TERRORISTAS DA ÉPOCA,ELES TEM QUE VOLTAR E TERMINAR O SERVIÇO.

  3. glorioso
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 15:08 hs

    O Brasil é um País ridículo! É ridicularizado pelo mundo todo, todos querem dar palpite aqui. Vão cuidar cada um de seu rabo.

  4. Juca
    sexta-feira, 11 de maio de 2018 – 19:28 hs

    Fizeram besteira deixando de lado esses que tomaram de assalto o país por 13 anos!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*