Governadores pagam mico em Curitiba usando dinheiro público | Fábio Campana

Governadores pagam mico em Curitiba usando dinheiro público

O senador Roberto Requião (MDB) fez nove nove governadores do Nordeste pagarem maior mico em Curitiba. Eles abandonaram os afazeres e torraram dinheiro público, inclusive no aluguel de jatinhos, para viverem um dos momentos mais desmoralizantes desde a prisão do ex-presidente Lula (PT) por corrupção. Os nove foram barrados por um despacho do juiz Sérgio Moro, assinado na véspera, proibindo demagogia rastaquera na carceragem da Polícia Federal, onde meliante comum cumpre pena. Requião fez o pedido à justiça para liberar a visita. Com informações de Cláudio Humberto no Diário do Poder.

O objetivo da visita não era político, destinado a Lula. Era a chance de fazer média com eleitor ignorante que ainda votaria do meliante. Ansiosos pelo gesto demagógico, os governadores nem sequer se deram ao trabalho de checar na PF se a visita seria autorizada. Governadores pagaram um mico inesquecível: até tiveram acesso à sede da PF em Curitiba, mas foram barrados. Barradas, suas excelências não reclamaram, não são loucos. Mas posaram para foto exibindo o despacho de Sérgio Moro. Foi engraçado.

Viajaram os governadores Tião Viana (Acre), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Fernando Pimentel (Minas Gerais); Wellington Dias (Piauí), todos do PT; além de Flavio Dino (PCdoB-Maranhão); Renan Filho (PMDB-Alagoas); Jackson Barreto (MDB-Sergipe) Paulo Câmara (PSB-Pernambuco).


3 comentários

  1. quinta-feira, 12 de abril de 2018 – 6:37 hs

    Parece que todos estao envolvidos em corrupção.

  2. Do Interior...
    quinta-feira, 12 de abril de 2018 – 9:44 hs

    Estes são os que não devem receber votos, de forma alguma.

  3. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 12 de abril de 2018 – 10:31 hs

    Algum instituto, alguma lei, deveria obrigar a cambada, pagar com recursos próprios esse passeio, além do desconto do dia vadiado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*