PF indicia 23 por desvios de recursos da UFSC | Fábio Campana

PF indicia 23 por desvios de recursos da UFSC

A Polícia Federal indiciou 23 pessoas por desvios de verbas em cursos de Educação a Distância (EaD) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A investigação concluiu que professores e funcionários da instituição agiam no esquema. Os crimes: concussão, peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa, violação de sigilo funcional e falsidade ideológica.
A operação é a mesma que levou ao suicídio o ex-reitor da universidade, Luiz Carlos Cancellier de Olivo.
O relatório parcial do inquérito, assinado pelo delegado Nelson Napp, indica apenas a tipificação das condutas criminosas e a indicação dos respectivos autores. Após a conclusão o Ministério Público Federal decidirá se denuncia ou não os indiciados pela PF.

(Foto: UFSC/Divulgação)


4 comentários

  1. junior
    quarta-feira, 25 de abril de 2018 – 12:19 hs

    E o Reitor Luiz Carlos? Estava ou não envolvido na maracutaia ?
    Mesmo sendo apenas o relatório de um inquérito, isso precisa ser divulgado para a sociedade saber até que ponto justificava o que fizeram com esse senhor.

  2. quarta-feira, 25 de abril de 2018 – 12:34 hs

    PUTA QUE O PARIU, COMO TEM LADRÃO NESTE PAÍS..ATÉ QUANDO?????????????????????????????????????????????

  3. Paranaense
    quarta-feira, 25 de abril de 2018 – 14:10 hs

    Até que provem o contrário, segundo consta, a prisão do finado Reitor foi midiática e com base nas informações/interrogatórios de 3 testemunhas, que, diga-se de passagem, eram seus desafetos (cargos políticos).
    Acredito na tese pois a juíza de plantão (no curso da temporária), ao analisar um pedido de liberdade, soltou o Reitor imediatamente, uma vez que não visualizou justificativa da manutenção da prisão, alegando que o investigado foi preso tão somente baseado em interrogatórios de 3 indivíduos, sem maiores indícios (vide Reportagem Veja).

    Na ocasião, a manchete da PF foi a seguinte: “Preso Reitor que desviou ZZZ milhões” (não me lembro o valor). Depois, a própria delegada se retratou afirmando que o valor mencionado era o repassa do Governo Federal em determinado período, e não um valor desviado.

    PF é muito eficiente, mas são muito midiáticos; cresceram fazendo marketing.
    Esse caso certamente tem culpados; onde há fumaça há fogo. Porém, cautela sempre faz bem, inclusive à vida (finado Reitor).

  4. Uncle Joe 100
    quarta-feira, 25 de abril de 2018 – 17:56 hs

    Kkk sempre achei muito estranho aquele suicídio do reitor, o cara jurava que era inocente e se matou. Só se mata quem tem culpa no cartório ou é louco, caso contrário espera a Justiça decidir, coisa que pode levar décadas. Agora a PF conclui que a roubalheira era verdadeira, então depreendo que o reitor sabia da roubalheira, aí não aguentou. Onde há fumaça sempre há fogo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*