Para não dispersar (e não perder os advogados) | Fábio Campana

Para não dispersar (e não perder os advogados)

Radar,

Ainda que Lula esteja decidido a se entregar, como quer Sergio Moro, ele não tem pressa para anunciar sua intenção.
A estratégia do ex-presidente é simples: pregar o discurso da resistência para manter a militância a postos embaixo da sede do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo. Nos cálculos de Lula, ao informar que irá se entregar, a adesão à vigília cairá imediatamente.
Nas internas, porém, a cúpula do PT teme que os advogados do ex-presidente deixem a defesa caso ele decida descumprir a decisão judicial de Moro. Eles acreditam que o cliente deve se apresentar espontaneamente para não ser acusado de cometer uma ilegalidade, até porque ficarão numa situação delicada caso compactuem com essa estratégia.

(Foto: Jefferson Coppola/VEJA)


3 comentários

  1. BETÃO
    sexta-feira, 6 de abril de 2018 – 15:10 hs

    Há muito se falava que o PT sempre foi um braço das FARCS. Alguem duvida agora???.

    Tem que algemar esse bandido, jogar no camburão e trazer pra Curitiba a baixo de laço pra aprender a respeitar uma ORDEM JUDICIAL. Dura lex, sed lex.

  2. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 6 de abril de 2018 – 15:21 hs

    A estultícia das pessoas de hoje em dia, chapadas pelas séries de TV e de olhos esbugalhados para seu próprio nariz, não percebem que este momento pode construir versões históricas para o futuro da imagem de Lula. Para ele, quanto pior, melhor.

  3. sexta-feira, 6 de abril de 2018 – 17:19 hs

    fodam se

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*