Pão com ovo e pipoca: o novo cardápio de Cabral | Fábio Campana

Pão com ovo e pipoca:
o novo cardápio de Cabral

Dois dias após o retorno do ex-governador Sérgio Cabral à prisão no Rio de Janeiro, após uma temporada de três meses em Curitiba, o secretário de Administração Penitenciária, David Antony Gonçalves, regulamentou e definiu quais alimentos e objetos poderão ser entregues aos presos das unidades prisionais do Estado pelos visitantes. A lista de alimentos é bem diferente das iguarias encontradas pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio, onde o ex-governador ficou preso por sete meses.

Em Benfica, o MP-RJ descobriu que os presos receberam camarão, bacalhau, queijo de cabra e presunto importado. Agora, preso em Bangu 8, Cabral poderá receber, por exemplo, pão com ovo, pão com linguiça, cachorro-quente e pipoca doce ou salgada. As informações são d’O Globo.

A resolução de número 708 foi publicada no Diário Oficial do Rio nesta sexta-feira e atualiza quais alimentos e objetos podem ser entregues pelos familiares e visitantes aos presos. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), as novas normas irão “garantir tanto o bem-estar do interno, como a efetivação das normas de segurança”, “além de dar mais transparência aos critérios usados pelas unidades prisionais”.

Cada preso terá direito, por exemplo, a uma garrafa de refrigerante de 600ml, pão na chapa com manteiga, biscoitos, bolo caseiro sem recheio, além de objetos de higiene, limpeza e de uso pessoal. Cabral e todos os outros detentos estão autorizados a receber os alimentos e objetos em uma sacola de supermercado após a inspeção dos materiais.

Na resolução anterior, a 610, de 18 de março de 2016, a Seap autorizava a entrada de frutas, alimentos cozidos, leite em pó, biscoitos, bolos, e doces, além dos materiais de limpeza e higiene.

O ex-governador está de volta ao Rio depois que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por três votos a um, pelo seu retorno. Ele foi levado, na quarta-feira, para a cadeia pública Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8).


2 comentários

  1. Palpiteiro
    sábado, 14 de abril de 2018 – 13:28 hs

    Faz jus ao apelido do juiz Bretas: Moro pão com ovo.

  2. domingo, 15 de abril de 2018 – 10:30 hs

    E TOMARA QUE O OVO ESTEJA BEM PODRE..KKKKKKKKKKKK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*