Moradores pedem reintegração de posse | Fábio Campana

Moradores pedem reintegração de posse

Um grupo de moradores vizinhos à sede da Polícia Federal em Curitiba entrou com um mandado de segurança pedindo a reintegração de posse da rua tomada por manifestantes que apoiam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, informa o Paraná Portal.
O acampamento já tem mais de mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar. Conta com refeitório, cozinha, posto de saúde, ambulância, ponto de doações, geradores de energia à gasolina e área para assembleias. Além do volume de lixo produzido e do problema sanitário, já que são apenas seis banheiros químicos, moradores estão incomodados com o barulho dos carros de som e o que chamam de “comportamento intimidatório” de muitos acampados.

(Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)


10 comentários

  1. sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 10:48 hs

    SE FOSSE NO REGIME NAZISTA, JOGARIAM GÁS???KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!

  2. Jair Pedro
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 10:50 hs

    Está mais do que na hora do nosso prefeito tomar uma atitude em respeito para com quem paga IPTU e outros impostos e que trabalham. Um bando de desocupados que não tem compromisso nenhum, a não ser com a baderna, estão tirando nosso direito de ir e vir. Um bando comandados por pessoas que nem em Curitiba moram.

  3. Rodiney Carneiro
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 11:04 hs

    Pra fora do Paraná este LULA, livrai-nos do mal !

  4. Veredito
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 12:21 hs

    Este problema tem dois caminhos que podem ser seguidos.
    O Ministério Público pedir a liberação da rua, que é pública, e responsabilizar o MST por invasão, já que não existe licença ambiental e nem do Urbanismo para aquela aglomeração.
    E o Juiz Juiz Sergio Moro, de tantas decisões brilhantes, mandar o presidiário em questão, que o STF chama educadamente de “paciente”, para Piraquara, ou Pinhais, tirando daquele local dois graves problemas; o aglomerado de desocupados e a presença perniciosa do ” paciente”.
    Nesta ultima hipótese, junto do aludido ” paciente” iriam os vendedores ambulantes de todos os tipos que lá se encontram.

  5. Do Interior...
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 14:05 hs

    A ação mais correta não seria interdito proibitório?

  6. juarez
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 14:54 hs

    Réu preso e já condenado deve cumprir a pena imposta em estabelecimento penal. Porque a lei de execução penal não está sendo aplicada ??

  7. sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 17:00 hs

    MELHOR PERGUNTAR NO POSTO IPIRANGA NÉ,KKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  8. sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 17:37 hs

    SOLTA UMS 3 GAMBÁS ALI QUE TODO MUNDO FOGE..KKKK

  9. Sapo Eletrico
    sexta-feira, 13 de abril de 2018 – 17:37 hs

    VEREDITO
    não são desocupados, pelo contrario estão muito ocupados na sua função de protesto. tem uma escola por trás desses acampamentos. Eles sabem como agir. Não são camponeses comuns. Tem lideranças, são politicamente bem informados e bem treinados.
    Corre o risco o local de virar uma praça de guerra.
    Eu sou apoiador dos os moradores.

    Ouro dia vi um vídeo de um cara chamando eles de vagabundos e pensei. Esses cara não sabe o perigo que corre.
    Esses “apoiadores de Lula” devem deixar o local, pois acredito que são perigosos.

    Este foi um presentinho que o Sérgio Moro deu aos moradores do bairro!

  10. Juca
    sábado, 14 de abril de 2018 – 15:28 hs

    Agora a coisa entortou mesmo.
    O PT vai trazer a novidade para o Brasil e oferecer à sua massa de manobra. Como todos petistas são pinguços Alex Fantini, bartender do “Very Nice Cocktail Bar”, de Bolonha, no norte da Itália, criou uma bebida à base de mortadela. Segundo o autor da bebida, para obter um licor de mortadela é necessário utilizar um maquinário que opera um processo de infusão direta por osmose, ou seja, extrai os aromas e sabores de um alimento e os insere em uma base alcoólica.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*