Checagem do discurso de Lula | Fábio Campana

Checagem do discurso de Lula

A Agência Lupa foi confirmar os dados do discurso que Lula fez no sábado em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, antes de se entregar.
Confira o resultado:
– FALSO: “[Fui] o único presidente da República sem um diploma universitário” – O ex-presidente Café Filho, que substituiu Getulio Vargas no poder e que governou o Brasil entre agosto de 1954 e novembro de 1955, também não tinha diploma de ensino superior.
– FALSO: “[O Brasil foi o] último país do mundo a ter uma universidade, o último. Todos os países mais pobres tiveram” – A primeira instituição de ensino superior brasileira foi a Escola de Cirurgia da Bahia, criada em 1808. No entanto, de acordo com a FGV, a Universidade do Brasil – que virou parte da UFRJ – deve ser considerada a primeira universidade do país. Ela foi criada por lei em julho de 1937. A Lupa localizou vários casos de países que tiveram sua primeira instituição de ensino superior inaugurada depois do Brasil.
– FALSO: “Nos Estados Unidos, termina a votação [da Suprema Corte] e você não sabe no que o cidadão votou, exatamente para que ele não seja vítima de pressão” – Nos EUA quando a Suprema Corte vota, é possível saber a opinião do relator, bem como o nome daqueles que o acompanharam e dos que divergiram dele.

– FALSO: “O que eu não posso admitir é um procurador que fez um PowerPoint e foi para a televisão dizer que ‘o PT é uma organização criminosa que nasceu para roubar o Brasil’” – “O que nós vemos é um partido político, o PT, buscando arrecadar recurso para se perpetuar no poder”. Textualmente, ele também disse o seguinte: “Não se julga aqui a adequação de sua [do PT] posição de mundo, de sua ideologia, mas se avalia se a agremiação se envolveu, por meio de seus diversos prepostos, de crimes específicos”. Portanto, ele não diz, em momento algum, a frase que Lula lhe atribui – de que o PT “nasceu para roubar o Brasil”. A denúncia apresentada pelo Ministério Público, tampouco, cita o PT como uma organização criminosa.
– FALSO: “Um procurador (…) disse ‘eu não preciso de provas, eu tenho convicção’” – Deltan Dallagnol diz o seguinte: “Provas são pedaços da realidade que geram convicção sobre um determinado fato ou hipótese”. Depois, afirma que as provas coletadas permitiam “formar seguramente a figura de Lula no comando do esquema criminoso identificado na Lava Jato”. Em seguida, o procurador Henrique Pozzobon explica que não haveria “provas cabais”, como uma escritura ou uma matrícula no registro de imóveis, mas ressaltou o motivo: “pois justamente o fato de ele não figurar como proprietário do tríplex, da cobertura em Guarujá é uma forma de ocultação, dissimulação da verdadeira propriedade”.
– VERDADEIRO: “Quanto mais eles me atacam, mais cresce a minha relação com o povo brasileiro” – Em 2015 Lula tinha 20% das intenções de voto, hoje tem 36%.
– VERDADEIRO COM RESSALVAS: “[Meus sonho foi] Diminuir a mortalidade infantil” – Dados reunidos pelo Banco Mundial mostram que a mortalidade infantil brasileira vem caindo desde 1960 e que, nos anos do governo Lula, a queda se manteve.
– VERDADEIRO: “[Eu sonhei] governar este país (…) criando milhões de empregos” – Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, 11,2 milhões de empregos formais foram gerados no Brasil entre 2003 e 2010.
– VERDADEIRO COM RESSALVAS: “Em 1986, eu fui o deputado constituinte mais votado do país” – Lula foi o deputado federal mais votado nas eleições de 1986, com 651.763 votos. Lula, porém, não votou pela aprovação do texto da Constituição, promulgado em 5 de outubro de 1988. Em 22 de setembro de 1988, dia da votação do texto, o petista encaminhou o voto contrário dos 16 constituintes de seu partido. Quando já era presidente em segundo mandato, em 2008, Lula fez um mea-culpa sobre a posição assumida pelo PT na Constituinte e elogiou o texto no qual não votou. Já fora do cargo, em 2013, Lula disse que a Constituição proposta pelo PT em 1988 deixaria o país “ingovernável” se fosse aprovada.
– VERDADEIRO: “Fui o presidente que mais fez universidades” – Durante a gestão de Lula (2003 a 2010), foram criadas 28 universidades – 23 públicas e cinco privadas. De fato, esse é o maior número de instituições desse tipo criadas no Brasil em comparação com todos os outros governos cobertos pela série histórica do MEC, iniciada em 1995.

(Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas)


3 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 9 de abril de 2018 – 12:14 hs

    Francamente, essa “análise sintática” e essa exegese da falação lulista é ainda pior que a própria peroração. Discursos de políticos são feitos para causar impacto momentâneo e efêmero, nada mais. O resto é papo furado.

  2. Simões
    segunda-feira, 9 de abril de 2018 – 12:35 hs

    Este desgraçado só mente, burros são aqueles que acreditam no que ele fala.

  3. Do Interior...
    segunda-feira, 9 de abril de 2018 – 14:36 hs

    VERDADEIRO: “Fui o presidente que mais fez universidades”?

    Foi. Só não disse que criou redutos ideológicos comunistas e esquerdistas e para dar cargos aos seus apaniguados .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*