Tribunal de Contas avalia asfalto de Curitiba | Fábio Campana

Tribunal de Contas avalia asfalto de Curitiba

O prefeito Rafael Greca e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Durval Amaral, acompanharam na tarde de ontem, a retirada de amostra do asfalto na obra de renovação da Avenida Manoel Ribas.
Trata-se da coleta do corpo de prova, como é chamado o material extraído que vai para análise em laboratório contratado pelo TC. A fiscalização é para saber se o que foi contratado é o que está sendo executado.
Greca se adiantou na análise: “A primeira camada de asfalto deste trecho tem 7,2 centímetros, quando deveria ter 6 centímetros. Quando esta obra ficar pronta terá 12 centímetros para que o pavimento possa comportar todo o tráfego desta importante ligação de Curitiba com Campo Magro, Campo Largo, Almirante Tamandaré e o Contorno Norte”.


5 comentários

  1. Maquiavel
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 13:37 hs

    O Rafaelzinho, da Greca Asfaltos, deve entender bem de asfalto.

    Mas o que ele não disse é o seguinte, de nada adianta ser asfalto grosso, com 30 cm de espessura e ter consistência de gelatina.

    O Asfalto é aglutinante, o que aguenta a pressão do trafego é a pedra brita que compõe a mistura.

    E visualmente o composto que esta sendo colocado pela prefeitura é deficiente de brita…

  2. Daniel, o ateu atento
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 13:53 hs

    Tem outra coisa…
    Foi escolhido de modo aleatório o local de onde o asfalta seria retirado, ou foi simplesmente decidido que iriam tirar o asfalto de lá, inclusive avisando quem estava asfaltando?
    Pois existe uma enorme diferença entre escolher aleatoriamente, sem aviso, uma obra, e escolher uma obra a dedo, avisando com antecedência.
    Gostaria de mais detalhes sobre como foi feita a escolha do local para a perícia.

  3. Daniel, o ateu atento
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 13:54 hs

    Errata:
    onde escrevi ‘asfalta’ leia-se ‘asfalto’.

  4. Blog Fábio Campana
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 14:02 hs

    Daniel, segundo o TCE, a fiscalização é feita por amostragem: “foram coletadas 30 amostras cilíndricas do pavimento e retiradas quatro placas de asfalto. Os técnicos vão comparar os dados medidos na via com o projeto, para verificar se o que foi previsto está sendo, realmente, executado”.
    Ainda, segundo o TCE, “em 2017, foram analisados 76 editais de licitação, dos quais 42 foram anulados ou suspensos por irregularidades”.

  5. Daniel, o ateu atento
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 14:17 hs

    Ok, valeu, Fabio.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*