Os comissionados da Câmara de Vereadores | Fábio Campana

Os comissionados da Câmara de Vereadores

Como acontece todo ano, a Comissão Executiva da Câmara protocolou projeto para distribuição dos 289 cargos comissionados na estrutura parlamentar do Legislativo em 2018, entre gabinetes e lideranças partidárias.
Cada vereador pode gastar mensalmente R$ 57,838,00 com até sete servidores comissionados, que podem ter salário de R$ 2.754,11 a R$ 12.393,86.
Todos os vereadores atualmente ocupam o limite de sete comissionados

Entre os vereadores são 266 cargos. Outras 19 posições, (remuneração de R$ 2.754,11), são destinadas às lideranças dos partidos políticos. As quatro restantes (também R$ 2.754,11) são indicações da liderança do prefeito, da liderança da oposição e dos dois blocos parlamentares atualmente formados.

Não estão nesta relação os assessores comissionados da Mesa Diretora, contratados para auxiliar os vereadores nessas funções administrativas. A Presidência dispõe de mais quatro cargos (R$ 11.016,73; R$ 6.885,46; R$ 5.508,38 e R$ 4.131,28). Primeira e segunda secretarias mais três (R$ 9.639,70; R$ 5.508,38 e R$ 4.131,28) e (R$ 8.262,60; R$ 5.508,38 e R$ 4.131,28). Os demais cargos da Mesa têm direito a mais dois assessores: 1ª vice-presidência (R$ 8.262,60 e R$ 5.508,38), 2ª vice-presidência (R$ 8.262,60 e R$ 4.131,28) e 3ª e 4ª secretarias (R$ 6.885,46 e R$ 4.131,28).


14 comentários

  1. Jose Nascimento
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 15:21 hs

    Que belezas… Pais Rico e sem igual no planeta, O Campana deveria pedir para moradores desempregados rezidente nas periféricas ruas fãs cidades, para se conhecer esse pais do Carnaval e Futebol, e da Rede Globo.

  2. Jose Nascimento
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 15:22 hs

    Complementando, enviar vídeos das periferia, igual da Globo, que Pais e esse.

  3. Xurupita
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 15:24 hs

    Isso aí é uma farra com dinheiro público, vide Cristiane Brasil. Os comissionados são cobrados pelos políticos para trabalharem na prática como cabos eleitorais e só. O único partido que vêm tratando isso diferente é o NOVO 30. O vereador Felipe Camozzato eleito pelo Partido NOVO em Porto Alegre enxugou os gastos do gabinete e pasmem: recentemente fez um processo seletivo para contratar um comissionado por critérios técnicos. Se informem mais sobre esse partido que é uma fagulha de esperança em nosso despedaçado Brasil.

  4. Jose Nascimento
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 15:48 hs

    Eu Culpo Fabio Campana, Esmael Morais, Cicero Catani, e outras dezenas de blogueiros, por isso, esse povo deveria era ensinar o povo a votar.

  5. Xurupita
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 16:01 hs

    Complementando, isso a Globo não mostra kkkk

  6. ieto
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 16:12 hs

    Esses são os moralistas de “cueca”!!!
    Que exemplo que dão…

  7. Sandor Mendes
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 16:25 hs

    Ao Sr. Xurupita,
    O novo partido NOVO infelizmente possui em seu presidente alguém que possui as mesmas práticas dos políticos velhos.
    A boa atitude no nobre vereador deve-se ao caráter pessoal dele e não decorrente do partido. Existem bons políticos em outros partidos.
    Ninguem vota em partido, vota nas pessoas. Se ele não apresentar bons candidatos, ninguém vai votar no partido apenas por seus ideais. Por sinal, todos os partidos no papel é muito lindo.

  8. Barto Castro
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 16:31 hs

    Será que vai ter comissionado na semana de carnaval trabalhando?

  9. Luiz de Assis Toledo
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 17:26 hs

    O Carnaval começou, a a Câmara de Curitiba já pos o TREM da ALEGRIA na pista.
    Viva os nossos vereadores.

  10. Xurupita
    quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018 – 18:08 hs

    Que tal fazer um contraponto e divulgar mais notícias boas aqui também? O senador Reguffe do DF, atualmente sem partido, tomou várias medidas no primeiro dia do mandato, todas através de ofícios formais à direção geral do Senado e tomadas em caráter irrevogável, nem que queira pode voltar atrás.

    – Abriu mão do Plano de Saúde dos Senadores (que é vitalício para o senador e familiares e sem limite de despesas, com direito a médicos, dentistas, psicólogos e outros, e que foi o único senador até hoje na história a abrir mão);

    – Abriu mão da aposentadoria especial de parlamentar e fez a opção formal por continuar contribuindo para o INSS (como a maioria dos brasileiros, só vai ter direito a uma única aposentadoria na vida, que será a do INSS);

    – Abriu mão dos salários extras que os senadores ainda recebem;

    – Reduziu a verba de gabinete para menos da metade do que os senadores têm direito e reduziu o número de assessores (os senadores têm direito a 55 assessores comissionados, no gabinete de Reguffe têm apenas 9);

    – Abriu mão de toda verba indenizatória e da cota para atividade parlamentar;

    – Abriu mão do carro oficial (e também da cota de combustível que os senadores têm direito);

    – Abriu mão do auxílio-moradia.

    Com essas medidas, todas tomadas em caráter irrevogável, só a economia direta do seu mandato aos cofres públicos é de R$ 16,7 milhões. Sem contar a economia indireta como, por exemplo, encargos sobre salários dos servidores não contratados, 1/3 de férias, gastos com saúde, etc. Essas medidas, se repetidas pelos demais senadores, gerariam só de economia direta aos cofres públicos mais de R$ 1,3 bilhão.

  11. Xurupita
    quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 – 13:17 hs

    Sr. Sandor Mendes, acredito que o Sr. não esteja se referendo a Moisés Jardim, presidente do Novo. Talvez estivesse se referindo a Amoêdo, que deixou a presidência do partido para se lançar candidato. Agora Amoêdo está sujeito à fiscalização do próprio partido, e se pisar na bola será excluído. Mas fiquei curioso para saber a quais práticas o Sr. se refere.

  12. Daniel Fernandes
    quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 – 13:36 hs

    Para os que citaram a Rede Globo, eu enviei um vídeo para aquela campanha ridícula, dizendo que eu só queria um país em que a mídia, especialmente a Rede Globo, não fosse uma linha de fabricação de gente retardada, e que tudo o mais que desejemos decorre desta premissa…
    Não sei, mas acho que eles não veicularão… hehehe

  13. Daniel Fernandes
    quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 – 13:38 hs

    E ninguém nunca pensou em transformar estes cargos comissionados em cargos permanentes, para os quais tenha de ser feito concurso?
    Como sou ingênuo, não é?
    Ingênuo e burro, não é?
    Políticos em geral odeiam funcionários concursados, pois não podem, com uma canetada, demiti-los…
    São independentes demais…

  14. João
    sábado, 10 de março de 2018 – 9:20 hs

    E ainda, alguns buscam na justiça receber 13º salário, um absurdo que deveria fazer a diferença nas próximas eleições.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*