Amiga de Carli Filho pede que mãe de vítima perdoe o réu | Fábio Campana

Amiga de Carli Filho pede que mãe de vítima perdoe o réu

Durante a sessão de ontem do Tribunal do Júri, uma amiga de Carli Filho abordou a deputada federal Christiane Yared para pedir que perdoe o ex-deputado.


5 comentários

  1. quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 9:48 hs

    ESSA GENTE POLITIQUEIRA SÃO UM PERIGO TCHÊ, CABO ELEITORAL PROFISSIONAL ENTRANDO EM CENA PARA FAZER O MEIO DE CAMPO. QUE VERGONHA GENTE!!!

  2. Eurico Dutra
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 12:26 hs

    Não faço ideia de quem é esse estrupício…
    Mas quem ela pensa que é para exigir perdão da Yared?
    Aliás, sim, ele saiu armado de casa, como todos nós saímos todos os dias que pegamos nossos carros.
    E sim, ao contrário de nós, ele saiu para matar, ao acelerar seu caro a 170 km/h em uma via urbana. Mesmo que não tivesse bebido, seria assassino igual.
    Acidente é um cara desse ter nascido.
    Você não é obrigada a perdoar ninguém Cristina, principalmente aqueles que não são sinceros em seus pedidos.
    Uma família que, na impossibilidade de eleger seu filho assassino, imediatamente o substitui por outro e que jamais fez nada além de pedidos vazios de desculpas, não merece perdão.
    Esperamos que a justiça seja feita!!!

  3. Tia Maria
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 12:27 hs

    Esta mulher pode entrar na política, é uma PsicoAtora !!
    Tinham que ter tirado esta mulher de perto e pedir proteção que mais desiquilibradas desta apareçam.

  4. quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 12:31 hs

    É QUE NÃO É FILHO DELA NÉ;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

  5. Abigail Oliveira
    quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018 – 14:01 hs

    O cachorro não poderia estar dirigindo, de tantas infrações que cometeu, mas mesmo assim encheu a fuça de vinho, saiu correndo feito um louco, matou dois inocentes e me vem dizer que foi acidente? Ah, vá prá PQP!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*