A vingança do pai da quase ministra | Fábio Campana

A vingança do pai da quase ministra

No discurso, Roberto Jefferson foi muito democrático e compreensivo. Disse que tudo bem, que estava tranquilíssimo a respeito da decisão do partido de desistir da nomeação da filha no Ministério do Trabalho.
Mas na vida real o lance foi bem diferente. Enfurecido, ameaça os infiéis com corte de repasse de recursos para campanhas.

(Foto: Reprodução/Twitter)


6 comentários

  1. Pedro
    quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018 – 10:05 hs

    É por gentalha como este sr que dá nojo de político. Um corrupto que continua mandando e desmandando. Deveria estar preso, pegar prisão perpétua. O safado roubou dinheiro de nossos tributos e anda por aí decidindo a vida dos outros. Nestas horas me dá vergonha de ser brasileiro.

  2. JÁ ERA...
    quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018 – 11:33 hs

    Que moral tem um cara como este Mensaleiro exigir um cargo ou
    não. É o primeiro que deveria ser execrado pela política brasileira.

  3. quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018 – 14:42 hs

    um advogado criminalista que que soube faturar dentro de uma república prostituta!!! OAB, ONDE ESTÁ VC????

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018 – 18:15 hs

    Uma merda dessa ainda influi aqui,que povo idiota temos né.

  5. bs
    quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018 – 18:38 hs

    Esse não tem nenhuma moral.
    Por este motivo que VOTO NULO.

  6. SapoEletrico
    quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018 – 3:44 hs

    Pelo menos eu acho que a coisa está mudando…Estando turva, a água aos poucos vai limpando…e os corrup´tos vão saindo da nossa política!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*