Walter Petruzziello é candidato a deputado na Itália | Fábio Campana

Walter Petruzziello é candidato a deputado na Itália

O advogado e economista Walter Petruzziello, 66, radicado em Curitiba desde criança, é candidato a deputado nas eleições de 4 de março ao Parlamento Italiano. Com forte atuação junto à comunidade ítalo-brasileira, Petruzziello diz que seu programa politico de campanha inclui a ampliação dos acordos bilaterais entre a Itália e Brasil nas áreas de educação, cultura, pesquisa e desenvolvimento, além fortalecer a representação diplomática italiana na região sul do País.

“São 30 anos de trabalho e de experiência junto a comunidade italiana no Brasil, o que me qualifica a representar os cidadãos italianos e seus descendentes no Parlamento Italiano. Minha atuação será voltada a promoção de maiores oportunidades e um futuro melhor para as famílias italianas que moram no Brasil”, disse Petruzziello, candidato pelo Maie (Movimento Associativo Italiani All’estero) – movimento dos italianos no exterior, em tradução livre.

A América do Sul, que concentra um colégio de mais de um milhão de eleitores, poderá eleger dois senadores e quatro deputados. A Itália é o primeiro país a criar vagas no parlamento para representantes de italianos no exterior. No total são 12 deputados e seis senadores que serão eleitos em março. “Eu disputo uma das quatro vagas da América do Sul. E acredito que temos muito trabalho a fazer para representar os italianos da América do Sul e, em especial, os que moram no Brasil”, disse Petruzziello.

Eleitores – O Brasil tem algo em torno de 351 mil eleitores italianos e eles se concentram mais nos estados de São Paulo (mais de 100 mil), Paraná e Santa Catarina (59,2 mil) e no Rio Grande do Sul (58,7 mil). Os eleitores do Paraná e Santa Catarina estão sob jurisdição do consulado italiano de Curitiba. “Há questões pontuais que precisam avançar na representação italiana no país, principalmente no que diz respeito a situação consular, agendamento de passaporte, fila da cidadania e a implantação de um consulado em Santa Catarina. Tudo isso precisa ser melhorado e desburocratizado”, adianta Petruzziello.

O advogado também quer focar sua atuação no parlamento na criação de oportunidades aos jovens descendentes de italianos residentes no Brasil. “Vamos propor a implantação da equivalência dos títulos universitários e ampliação das parcerias entre as universidades dos dois países. Eu fiz mais de 30 mil traduções de documentos aos descendentes que obtiveram a cidadania italiana e há muito jovens que querem conhecer a genealogia da sua família, conhecer a cultura italiana. Precisamos consolidar um banco de dados que facilite o trabalho de pesquisa e de interação entre as duas culturas, a brasileira e a italiana”.

Petruzziello atenta ainda ao processo eleitoral italiano para os estrangeiros. Ele explica que o eleitor italiano deve ser cadastrado na lista eleitoral da cidade de sua descendência e caso não o tenha deve entrar em contato imediato com o consulado mais perto, no caso do Paraná e Santa Catarina, em Curitiba. “O eleitor cadastrado vai receber um envelope chamado “plicco elettorale” pelos Correios a partir de 9 de fevereiro. O voto tem que estar no consulado até às 16h de 1º de março e não vale o carimbo postal dos correios”, explica.

“Ainda teremos o carnaval entre os dias 10 e 13 de fevereiro. Então, é importante que as cédulas sejam preenchidas o mais rápido possível e postada nos Correios ou entregue pessoalmente no consulado”, completa.


8 comentários

  1. Sapo Eletrico
    segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 0:57 hs

    Sono un’italiano! Italiano vero!

    Mas eu vou ver isso ai. Sou descendente de italianos, pelos dois lados da familia.

  2. troll
    segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 6:47 hs

    Caro candidato. Espero que na sua lista de metas e programas não falte a instalação de uma OUVIDORIA em todos os consulados. Via de regra cidadãos italianos são tratados sem nenhuma educação , com desdém e os que tem dupla cidadania ,com discriminação dentro do Consulado. Não há com quem reclamar ! È necessário o envolvimento direto do Consul o qual está encastelado em sua redoma e ninguém sabe a que veio nem como interagir com o mesmo. Ir ao Consulado ( cito especificamente o de Curitiba) é esperar por problemas , má educação e complicações de toda natureza de parte de um bando de burocratas que ganha muito bem para servir muito mal. Fica a minha sugestão.

  3. Gordao
    segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 9:06 hs

    concordo totalmente com o comentario do Sr Troll. absurdo nao podermos renovar ou confeccionar passaportes.

  4. segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 9:44 hs

    È vero, il Consolato Generale a Curitiba, deve agir rapidamente para Facilitar o ‘Prenota’ para agendar o pedido do ‘PASSAPORTO ITALIANO’. É um Site ‘SITO” INACESSÍVEL, quase impossível fazer o Agendamento ‘prenota’ e aí entram as Agências que cobram uma Fortuna para fazer! Se a intenção era não permitir o comercio de Agendamento, bloqueando os IP’s dos computadores com mais de uma Prenota, não deu certo porque as Agencias usam pessoas da própria Italia para Agendar de lá, à meia noite de domingo e não são bloqueados. Caspita!

  5. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 14:25 hs

    Mais um escroque.O mundo tá perdido.

  6. E o que é isso?
    segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 – 17:25 hs

    Advogado de Antonio Belinati e Alex Canziani em 1996

    PROCESSO : AG Nº 0003464-97.1998.6.00.0000 – AGRAVO DE INSTRUMENTO UF: PR
    JUDICIÁRIA
    MUNICÍPIO: LONDRINA – PR N.° Origem: 1
    PROTOCOLO: 41781998 – 07/05/1998 00:00
    AGRAVANTE: ANTONIO CASEMIRO BELINATI E OUTROS
    ADVOGADO: WALTER ANTONIO PETRUZZIELLO
    AGRAVADO: COLIGAÇÃO “POR AMOR A LONDRINA”, (PSDB/PFL/PV/PPS/PL)
    ADVOGADO: ALEXANDRE HAULY CAMARGO
    RELATOR(A): MINISTRO EDUARDO ANDRADE RIBEIRO DE OLIVEIRA
    ASSUNTO: Do despacho que inadmitiu o Recurso Especial interposto da decisão do TRE que anulou a sentença de 1º grau, a fim de que fosse completada a instrução nos autos de Investigação Judicial promovida para apurar abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 1996, envolvendo ANTONIO CASEMIRO BELINATI, ALEX CANZIANI SILVEIRA e a Coligação “Londrina Terra da Gente.”

  7. Sira tempo
    terça-feira, 20 de fevereiro de 2018 – 19:50 hs

    Sou italiana nata, vim para o Brasil adolescente, acho super, mas super errado essa lei da Itália, em permitir candidatos estrangeiros se candidatarem na politica italiana
    Tambem, acho ridiculo essa lei de votar , as vezes as pessoas não conhecem bem a politica brasileira , imagina se vão conhecer a da Italia.
    Ainda bem q o voto não é obrigatorio, pois eu nunca votei , e nem votarei. ( Imagina se acredito q meu voto chega na Italia kkk)

  8. MARCELO
    quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018 – 12:14 hs

    Ah, sério??? Interessante a Itália ser o primeiro país a criar vagas para representantes de italianos no exterior. Quem sabe agora a Alemanha, a Suécia e até a China criem vagas no parlamento para representantes de italianos no exterior.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*