Povo quer honestidade, mas vota nos malandros | Fábio Campana

Povo quer honestidade, mas vota nos malandros

Pesquisa inédita da Ideia Big Data para o Brazil Institute do Wilson Center, aponta o descrédito do Congresso, a falta de interesse no Legislativo e expectativas de poucas mudanças as eleições de novembro.

O levantamento aponta que 72% dos eleitores escolheram temas relacionados à honestidade como prioridade na hora de votar em seus deputados e senadores. Não é novidade, o mesmo aconteceu nas eleições anteriores, mas os brasileiros acabaram elegendo uma chusma de políticos que já tinham sido indiciados por corrupção. Deu no que deu.


6 comentários

  1. Marcão
    quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 – 12:04 hs

    Campana, o povo quer honestidade mas é muito desonesto… Hoje cedo, numa entrevista à CBN, o ministro da Previdência declarou que 80% dos auxílios por invalidez são ilegais e estão sendo cancelados. E que foi descoberto um auxílio maternidade para uma mulher cujo parto ocorreu há 7 anos. É mole???

  2. Roque Alves
    quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 – 12:07 hs

    “A Democradura do Presidencialismo e do Voto Obrigatório”… “A dinastia do regime Presidencialista e a autocracia do Voto Obrigatório no Brasil transformam espúrios o processo eleitoral e representação política… Porquanto, cujo sistema eleitoral permissivo consagrando a participação de candidaturas descompromissadas com os princípios éticos duma gestão pública democrática, ao passo de cujo modelo eleitoral subversivo contemplando a participação das candidaturas malandras, sem compromisso moral”…

  3. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 – 14:29 hs

    E vai continuar tudo igual. A média de reeleição no Congresso é de 60% e vai continuar igual. Por isso, algumas autoridades querem cassar os políticos com atos institucionais de ditadura dourados como decisões democráticas, para impedir suas candidaturas. O Brasil tem muito que evoluir, mas, não será somente criminalizando a política e os políticos que isso acontecerá. A cultura da corrupção permeia a sociedade, desde o guarda da esquina até os altos escalões da república bananeira, em todos os poderes e anexos, com maior ou menor intensidade. E algumas instituições que pretendem ser exemplos de cidadania, esbanjam dinheiro em mordomias, privilégios e vencimentos acima do teto constitucional. No casos dessas instituições, todos são iguais perante a lei, mas, alguns são bem mais iguais que os outros.

  4. PEDROCA DO SUDOESTE
    quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 – 16:26 hs

    Enquanto, deixarem os DEPUTADOS negociar emendas para prefeitos, continuará assim. Os maiores cabos eleitorais dos candidatos ,ai o prefeitinho chega em seus eleitores e pede para votar no seu candidato que vai arranjar uma PONTE, UMA AMBULÂNCIA e ai vai.Ah.e ainda fazem churrasco, janta e batem palma para esta thurma, que está encastelada lá em Brasília.

  5. Do interior
    quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 – 18:47 hs

    Aqui no blog mesmo tem gente sempre defendendo bandidos da pesada. Inclusive condenados.

    Mas o que esperar de um povo sem cultura, sem inteligência, e que ecalta a lei de Gerson?

    Quer acabar com a roubalheira mas vota em ladrão. Os partidos vitaram quadrilhas e o judiciário i.pefiu a candidatura avulsa ou sem partido, coisa que poderia enfrentar os caciques donos de partidos, onde quem quer entrar tem que se sujeitar ao sistema.

  6. Juca
    sexta-feira, 19 de janeiro de 2018 – 20:10 hs

    Na verdade o povão quer a coisa esculhambada pois assim vai recebendo as bolsas miséria pensando estar levando vantagem. Exemplo disso é a situação da “classe média” do Lula!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*