Sossego na Ilha do Mel | Fábio Campana

Sossego na Ilha do Mel

O Instituto Ambiental do Paraná atualizou a regulamentação para uso de equipamentos de som na Ilha do Mel. A portaria foi discutida em reuniões com moradores e com a promotoria do Ministério Público do Estado. A nova regulamentação permite música ao vivo acústica, sem baterias, e equipamentos de diversão, lazer e entretenimento até meia-noite em dias de semana, independentemente de época de temporada. Já durante fins de semana, feriados e festividades de Carnaval e Ano-Novo o horário se estende até às duas da manhã.
A fiscalização é de competência do Batalhão de Polícia Ambiental.

(Foto: Chuniti Kawamura/Arquivo ANPR)


Um comentário

  1. BETO
    quarta-feira, 6 de dezembro de 2017 – 14:41 hs

    Espero que publique Campana.

    O litoral do Paraná é muito bonito. Aguas limpas, poucos pontos inadequados para o banho de mar, orla enorme e muitos outros pontos positivos citando um como referência a proximidade de Curitiba o que facilita as idas e vindas com mais frequência em nosso litoral.

    Pontos negativos:

    A falta de investimento por parte do governo do Estado em infraestrutura e locomoção;

    Não tem qualquer incentivo a frequentar o litoral fora da temporada tais como diversão e outros

    Mas, nada pior que o retrato do matagal tido como preservação natural invadindo toda a orla. Esse mato que nada tem de restinga foi plantado há muito e vem se transformando dia a dia em um verdadeiro depósito de lixo, onde é fácil observar fogões, geladeiras e tantos outros lixos jogados na orla.

    esse matagal que ao longo dos anos vem se crescendo e aumentando de uma forma desordenada vem servindo de refúgio de usuários de drogas e refugio de bandidos que esperam na calada da noite as mocinhas nos carreiros pra assediar e também serve pra ficar de camuflagem pra assaltar os prédios a beira mar.

    Esse matagal envergonha, afugenta os turistas e deixa a praia com cara de suja e abandonada.

    Esse relato eu faço baseado em uma realidade pois tenho imóvel no nosso litoral e convivo com esta desgraceira o ano todo.

    O pior, é que a Prefeitura nada faz pra amenizar a situação tal como baixar a mata sem destruir. Plantar outros tipo de vegetação, uma vegetação rasteira e colorida que certamente trará vida ao nosso litoral. A Prefeitura diz que o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), não permite de forma alguma que se mecha na Selva mas o que falta é saco roxo do Prefeito, atitude de tomar assinatura daqueles que moram a beira mar, levando a conhecimento e tomada de medidas do Governo do Estado, Ministério Público e quaisquer outras autoridades mas, ninguém faz nada como faz parte do “aqui vale tudo”, o não adianta e leva um século pra resolver, melhor contar com a sorte de não ser assaltado, não ter seu imóvel invadido por marginais fora da temporada, ficar quieto e fechar os olhos pra não ver o casalzinho transando a beira da mata ou em uma rezar pra não ter uma filha estuprada o que levaria com certeza a tomada de atitudes contra esses políticos vagabundos que so pensam na população em época de eleição.

    Senhores do IAP, criem vergonha na cara e baixem o matagal que invade nossas praias. Ao menos baixem o mato que vem crescendo mais e mais a cada dia que passa e não serve pra nada senão refugio de bandidos e acumulo de lixo.

    Vergonha, criem vergonha e tomem atitude.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*