Salada da Noêmia | Fábio Campana

Salada da Noêmia

A vereadora Noêmia Rocha (PMDB) fez uma verdadeira salada na sessão desta segunda-feira, 11, ao misturar a finalidade dos dois projetos sobre a tributação de empresas de planos de saúde e dos cartórios judiciais em Curitiba.

Indignada com a possibilidade do aumento da alíquota de ISS cobrado às empresas de planos de saúde, Noêmia afirmou que os custos relacionados ao acréscimo serão arcados, unicamente, pela população. “Esse custo não pode cair para o povo”, declarou.

A análise de Noêmia, entretanto, não condiz com a essência e com os resultados previstos pela proposição. O aumento da alíquota não incidirá sob a cobrança de valores dos planos aos usuários. Isto porque, este custo é contabilizado desde 2012 nos valores dos planos apresentados aos usuários e não sofrerá nenhuma alteração, inicialmente, até 2020.

Quanto aos cartórios, a proposta é manter as mesmas taxas de cobrança para todos os cartórios e preservar os custos pagos pelas instituições ao município. Aparentemente sem compreender a proposta, a vereadora Noêmia Rocha disse: “Os cartórios precisam ser tratados com isonomia e o prefeito não pode diminuir ou aumentar impostos sem respaldo ou aviso prévio”.

A proposta para adequação tributária está na pauta da Câmara de Vereadores desde a última semana e ainda passará por nova votação, em segundo turno, antes de seguir para sanção do prefeito Rafael Greca.


2 comentários

  1. lucas
    terça-feira, 12 de dezembro de 2017 – 10:17 hs

    Desculpe ! Mas lambaça faz o prefeito quando manda as mensagens para a Câmara todas com regime de urgência, não se discute, não se escuta os contraditórios.
    Do jeito que a coisa está funcionando, o regime aqui na cidade passa de republicano para imperial, bem a moda da casa.

  2. Pedro Bó
    terça-feira, 12 de dezembro de 2017 – 14:50 hs

    Não admiro essa vereadora, mas ela não deixa de ter razão. Um plano de saúde, ao pagar mais ISS, vai repassar essa despesa para alguém, e esse alguém somos nós, os usuários. Somos nós que pagaremos a conta, de um jeito ou de outro. Não tenham dúvida!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*