Inanição chavista | Fábio Campana

Inanição chavista

Editorial, Folha de S. Paulo

Kleiver, um bebê de três meses, foi internado com desnutrição, mas tampouco há comida nos hospitais superlotados de crianças na mesma condição. Após 20 dias de agonia, ele sofreu uma morte “incrivelmente dolorosa” que poderia ter sido evitada com fórmula infantil, segundo os médicos.

Driblando a censura estatal, dois repórteres do jornal “The New York Times” acompanharam, ao longo de cinco meses, crianças desnutridas em 21 centros públicos de saúde na Venezuela. Os chocantes relatos colhidos revelam as vítimas mais frágeis do disfuncional regime ditatorial de Nicolás Maduro.

Por anos, o preço alto do petróleo maquiou os delírios do chavismo, que deformou as instituições e estatizou vários setores da economia para concentrar poder e se perpetuar nele. Passada a bonança, a conta recai sobre a população mais pobre, acossada pela hiperinflação e pelo desabastecimento.

A ditadura vem sistematicamente sonegando estatísticas sobre a saúde pública, num esforço vão de encobrimento: como relata a reportagem do diário norte-americano, os sinais de fome são visíveis tanto nos hospitais como no crescente número de crianças disputando sobras de alimento.

A fome venezuelana tem produzido reflexos fora de suas fronteiras. No Brasil, as principais cidades do Norte receberam centenas de indígenas da etnia warao em busca de comida, tanto para eles como para os parentes que ficaram para trás.

Cego pela ideologia ou embriagado pelo poder, Maduro continua a insistir num modelo econômico falido enquanto atropela todas as regras democráticas para preservar o comando político.

Como paliativo no curto prazo, resta à comunidade internacional pressionar o caudilho a aceitar ajuda externa para amenizar a fome.

O governo brasileiro tem pouco a contribuir: as relações com o país vizinho continuam a se deteriorar —no episódio mais recente, o embaixador em Caracas foi declarado persona non grata pelo arremedo de Assembleia Constituinte instalado pelo regime.

Em tese, a tarefa caberia a Cuba, China e Rússia, os aliados mais próximos da Venezuela. Mas, dado o retrospecto de tais países quanto a direitos humanos, não se devem alimentar maiores expectativas.


6 comentários

  1. Jair Pedro
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 9:54 hs

    Será essa a tal da “DEMOCRACIA ATÉ DEMAIS” tão propagandeada e admirada por Lula?
    Será essa a tal da democracia defendida por Gleisi, Requião, Stédile,
    Rui Falcão, Gilbertinho, Zé Dirceu, etc..?
    Está mais do que na hora de nós brasileiros pensarmos bem na hora de votar. Chega de enganação.

  2. Uncle Joe 100
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 10:33 hs

    Quando um jornal de esquerda como este chega a este ponto , denunciar a que ponto chegou a situação na Venezuela, é porque a casa caiu . Estes esquerdistas do primeiro mundo só se escandalizam quando veem gente morrendo de fome, caso contrário negam os fatos até à exaustão.

  3. FALA SÉRIO
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 12:57 hs

    O Chavismo está no poder à tempos, agora que os jornais estão colhendo informações. Um pouco atrasados por um prenúncio já conhecido.
    Para quem gosta do PT, da Gleise e do Requião reflitam.
    A Venezuela é a quarta maior produtora de Petróleo no mundo, para onde está indo este dinheiro se tem gente morrendo de fome.
    Detalhe, não adianta culpar empresários, pois quem manda é o Maduro.

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 13:06 hs

    Engraçado que esse jornalistas americanos e bem nutridos acompanharam por cinco meses a agonia das crianças e nem lhe ofereceram uma porção de comida?Estranho são essas reportagens.

  5. Jair Pedro
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 13:21 hs

    E é exatamente o que o PT e afins querem no Brasil. Querem miserabilizar a população para que eles no poder, possam roubar tudo (como já demonstraram) e a seu bel prazer ditarem como a pobre nação tem que seguir.
    Acorda Brasil para não sermos a nova Venezuela.

  6. Rock
    quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 – 22:54 hs

    Engraçado que nos EUA a fome esta matando 12 milhões de crianças e os americanos vem procurar miséria na Venezuela. https://diariopb.com.br/fome-nos-eua-doze-milhoes-de-criancas-a-beira-da-morte/

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*