Voltaremos a queimar livros? | Fábio Campana

Voltaremos a queimar livros?

“Obras de autores da literatura e da filosofia como Thomas Hobbes, René Descartes e Victor Hugo fizeram parte do Index Librorum Prohibitorum – lista de livros proibidos criada pela Igreja Católica na Idade Média. Era uma defesa da Igreja diante da invenção da prensa (e consequente popularização dos livros) e da Reforma Protestante, que ameaçavam a autoridade católica. A primeira edição, oficializada em 1559, tinha 550 obras censuradas. A 32ª e última edição, de 1948, tinha 4 mil títulos. Os livros reprovados (imorais ou contrários à doutrina) eram queimados.” – Nathália Braga, para o site Mundo Estranho.
Proíbe-se “distribuição, utilização, exposição, apresentação, recomendação, indicação e divulgação de livros, publicações, palestras, folders, cartazes, vídeos, faixas ou qualquer tipo de material, lúdico, didático ou paradidático, físico ou virtual, contendo manifestação ou mensagem subliminar de igualdade (ideologia) de gênero em locais públicos, privados de acesso ao público e entidades de ensino no município”. Texto do projeto de lei do vereador Deco do Hot Dog, de Apucarana.


3 comentários

  1. Uncle Joe
    sexta-feira, 24 de novembro de 2017 – 20:20 hs

    E quem é que vai organizar o novo Index Librorum Prohibitorum? O próprio vereador, porquê um cara que podia fazer isto morreu este ano, o cara era empregado da Assembléia só para indicar livros para o Justus ler.

  2. SapoEletrico
    sexta-feira, 24 de novembro de 2017 – 22:56 hs

    Não sou a favor da Ideologia de Gênero, entretanto esse projeto ai parece ser uma censura ao direito de expressão. Acho que isto é ate anticonstitucional!

  3. Milton
    sábado, 25 de novembro de 2017 – 9:31 hs

    Hobbes, Descartes e Victor Hugo na Idade Média? Era mundo estranho.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*