Rossoni diz que professores reclamam de barriga cheia | Fábio Campana

Rossoni diz que professores
reclamam de barriga cheia

Segundo o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, que cuida das questões salariais e de recursos para Educação, os professores do Paraná reclamam de barriga cheia”. Segundo ele, os salários dos professores da rede pública estadual do Paraná superam os das escolas particulares. Além do que, os professores estaduais contam com remuneração inicial de R$ 3,6 mil, mais hora-atividade, quinquênios, licenças especiais e até licenças para tratamento de familiar doente. Na rede particular não são concedidos esses benefícios, lembra Rossoni.

Ainda segundo os estudos de Rossoni, o piso para os professores de escolas particulares gira em torno de R$ 2,6 mil para uma jornada de 40 horas semanais. Em relação à hora-atividade (tempo reservado para correção de provas e preparação de aulas), as escolas particulares oferecem em média um acréscimo de 12% do salário do docente para essas atividades, desde que elas sejam cumpridas dentro da instituição de ensino. Caso o professor opte por desempenhá-las em outro local, não há benefício.

O Estado assegura 37,5% da jornada para a hora-atividade, sendo que a lei prevê apenas um terço. O quinquênio é um valor incorporado ao salário do funcionalismo público a cada cinco anos de serviço e não existe essa previsão na rede particular, garante Rossoni.


9 comentários

  1. Paranaense
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 17:52 hs

    Concordo que, em relação ao particular, há uma mera vantagem dos professores. Agora, falar que “reclamam de barriga cheia” sem olhar para o umbigo e de seus pares é uma desfaçatez sem medida.
    Acho uma frase totalmente descabida e infeliz.
    Compare a situação dos deputados, dos senhores juízes, dos senhores promotores com a do trabalhador comum. Neste caso a frase é mais apropriada.
    Agora, para os professores que ganham em média 4 mil por mês não é o caso.
    Pimenta nos olhos dos outros é refresco.

  2. Roberto rodrigues
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 18:31 hs

    Este filho de uma puta. Bandido. Covarde. Falastrão. Vamos colocar em 2018. No lugar que ele merece. Na cadeia. Quem vota para um traste deste, contra professores. É vagabundo igual.

  3. Jaferrer
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 18:35 hs

    Concordo plenamente com o comentário do Paranaense.

  4. Valpersou
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 19:15 hs

    Esse cara é um retardado mental.

    Quero ver quem vai votar nesse merda e no beto richa e nos 31 deputados do camburao.

  5. jorge
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 19:37 hs

    A APP é , em primeiro lugar,uma organização de apoio político “as esquerdas”.

  6. terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 19:39 hs

    O momento é de reflexão, o deputado afirma que eles estão de barriga cheia, os professores afirmam que estão de bolso vazio, que tal reunir as duas partes, os professores melhorariam a qualidade das aulas e o governo melhoraria o salário, só dos que melhorarem a qualidade das aulas. Sem exagerar classe que não produz e a dos professores, tem direito de todo lado, mas quando fala em responsabilidade ninguém assume, diretores e diretores auxiliares que vergonha.

  7. Djair
    terça-feira, 21 de novembro de 2017 – 23:00 hs

    Deputado hipócrita, aprovar auxilio moradia de juiz de R$ 4.377,73 e reajuste anual do legislativo e judiciário isso sim é chorar de barriga cheia.

  8. NG
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 7:55 hs

    No meio político e midiático há sempre o que desconfiar desse conluio sem regras ,onde apenas as diretrizes convenientes se convergem para o bem de ambas as partes, mas estas ambas as partes , não significa o bem comum. Pois bem, a educação virou alvo preferido das elites políticas, e de seguidores, apoiadores cegos que sequer tem noção do que se passa dentro da sala de aula, com alunos que deveriam estar vindo para o templo do saber no mínimo com diretrizes dentro de seus respectivos lares para que ampliasse a capacidade de absorção do conhecimento, mas infelizmente o que sentimos é uma demonstração que o lar , a instituição familiar tem falhado na educação, e que as escolas arquem com essa crise, a escola tem compromisso com o saber tão somente(…) os professores são acusados de receberem um grande salário, salário esse que em excesso prejudica o financiamento de estradas, de construções etc, são acusados de fornecer péssima qualidade, quando a péssima qualidade de educação vem dos lares seja classe a,b,c, sem eximirmos com isso a nossa responsabilidade..são acusados de serem politizados, partidários, quando na realidade querem excluir e impor uma ideologia, com nome de sem partido que de fato sabemos não ser. Falta incentivo para que os professores possam lecionar com qualidade, pois quando se fala de qualidade, existe um contexto que vai das condições físicas e tecnológicas da escola, ao ser humano professor, esses fatores permitem quando associados e saneados uma melhor capacidade de formação de cidadãos… quem perde com esse desafio de um político obcecado e com sanha para com os professores , é a educação, é a escola , os alunos . A sociedade ganha com isso a ignorância e uma geração cada dia mais pobre de conhecimento e mais fácil de se manipularem por políticos de múltiplas facetas. Minha indignação para com os que financiam a desgraça na educação e para com os cegos que os seguem sem ter no mínimo uma noção sobre o que se passa dentro das escolas, cada vez mais sucateadas, e com as salas com 40 alunos, tornando assim impraticável uma educação de qualidade….visitem as escolas, dos bairros, do interior, e verifiquem o quanto este transtornado obsessivo por cortar gastos com a educação, fala asneiras para um público de extrema radicalidade ..

  9. Roberto rodrigues
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 19:05 hs

    Quem é contra professores. É a favor de bandidos. Simples assim.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*