'Quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor da PF?', ironiza procurador da Lava-Jato | Fábio Campana

‘Quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor da PF?’, ironiza procurador da Lava-Jato

O Globo

O procurador da força-tarefa da Lava-Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, criticou a declaração do novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, que colocou em dúvida se “uma única mala” seria o suficiente para determinar se houve ou não crime. Em um post nas redes sociais, Lima ironizou: “Uma pergunta: quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor-geral da Polícia Federal?”.

Em entrevista coletiva após sua posse no principal cargo da Polícia Federal, Segovia prometeu que Temer continuará sendo investigado e que seus inquéritos terão celeridade. Segovia questionou as conclusões das investigações da JBS pela Procuradoria-Geral da República. De acordo com Segovia, se dependesse da PF, a averiguação não teria sido finalizada em um prazo tão curto.

— Talvez uma única mala não desse toda a materialidade para apontar se houve ou não crime, e quais são os partícipes. Isso poderia ter sido respondido se a investigação tivesse mais tempo. E quem colocou esse prazo foi o Ministério Público Federal. E também seria esclarecido por que Joesley (Batista, dono da JBS) sabia quando iria acontecer (a divulgação da delação) para ganhar milhões no mercado de capitais — disse Segovia.

Ontem, o procurador já havia criticado Segovia. Segundo Lima, a opinião do novo diretor-geral seria desnecessária e irrelevante.

“Sua opinião pessoal é totalmente desnecessária e sem relevância, ainda mais quando dada em plena coletiva após a posse que lhe foi dada pelo próprio denunciado”, escreveu.


3 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 9:10 hs

    Segóvia disse ao que veio. Também, pudera…

  2. Tonho
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 9:42 hs

    Em nenhum momento Segovia disse que 500 mil é pouco dinheiro para se aferir culpabilidade de Temer ou de quem quer que seja!
    O que ele disse foi o seguinte: A mala de dinheiro, por si só, não representa prova alguma contra Temer, até porque ela não foi entregue ao Presidente. Para aferir eventual CULPA de Temer, a mala de dinheiro NÃO BASTA, pois é preciso ELEMENTOS OUTROS DE PROVA para caracterizar a culpabilidade!
    Mas, aí me vêm um Janot com evidente má fé (e logo atrás uma PENCA DE IGNORANTES, inclusive os Antagonistas) a dizer que Segóvia achou pouca grana na mala para caracterizar crime!
    Haja paciência com gente estúpida desse naipe!!!!

  3. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 10:08 hs

    Esses porteiros dos auditórios do apocalipse, que buscam promoção pessoal nas redes, que gostam de se exibir e amam seus reflexos no espelho, como Narcisos da rede – já velhotes e barrigudos alguns – querem ditar os acontecimentos no país. O editorial do Estadão mais uma vez joga luzes sobre as vaidades e os egos de pretensos messias, que se julgam acima de lei.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*