Pretos e pardos ganham 55,5% do rendimento dos brancos | Fábio Campana

Pretos e pardos ganham 55,5% do rendimento dos brancos

Os trabalhadores pretos e pardos são maioria entre os desempregados, domésticos e ambulantes e ganham menos do que os trabalhadores brancos do país. A conclusão é de levantamento sobre as características da força de trabalho dessa população divulgado hoje.
De acordo com o IBGE e matéria publicada na Folha de S. Paulo, os pretos e pardos tiveram, no terceiro trimestre, rendimento médio de R$ 1.531 no Brasil, o equivalente a 55,5% da renda mensal dos trabalhadores brancos, que foi de R$ 2.757.

Os dados do IBGE mostram que o percentual de pretos e pardos com carteira assinada pelo setor privado (71,3%) é menor do que a média (75,3%) e que, em geral, esse grupo é maioria em grupamentos econômicos que pagam menores salários, como Agricultura, Construção, Alojamento e alimentação e Serviços Domésticos.

Entre os domésticos, por exemplo, 66% dos trabalhadores no terceiro trimestre de 2017 se declararam pretos ou pardos. O mesmo percentual foi verificado entre trabalhadores ambulantes.

Pretos e pardos também são maioria entre os trabalhadores subutilizados, aqueles que trabalham em vagas com jornada inferior a 40 horas semanais e gostariam de trabalhar mais, representando 65,8% dos 26,8 milhões de brasileiros que se encontram nesta situação.

Por outro lado são minoria entre aqueles que se declaram como empregadores, representando apenas 33% dessa categoria.

“O Brasil já conhece essa diferença, mas é importante reforçar que ela existe e que não vem se dissipando ao longo dos anos”, concluiu Azeredo.


3 comentários

  1. Valmor Lemainski - Cascavel
    sexta-feira, 17 de novembro de 2017 – 14:50 hs

    Como é o pagamento de salários na África? Existe isonomia salarial lá pelo fato de praticamente todos serem negros?
    E quando houve picos positivos em nossa economia e houve o nivelamento salarial e até chantagem para aumento, alguém lembra se existia essa diferença? E quando existe pagamento por produtividade e o negro produz menos, como fica?… Será que já não chega de apologia ao coitadismo?…

  2. sábado, 18 de novembro de 2017 – 1:23 hs

    È necessário mais respeito para com os nossos irmãos afro-descendentes,mas também que haja mais respeito com todos os seres humanos. Que haja mais respeito com o idoso, com o professor, com o policial, e que principalmente com os contribuintes (pagadores de impostos) que somos todos nós. Seria muito importante que os nossos políticos respeitassem os votos que receberam e trabalhassem em prol do povo e não de si e de sua família. É necessário que todos respeitem a todos. E que este respeito venha do coração de cada um e não por imposição como quer fazer o governo, pois a meu ver, parece estar formando um vale cada vez maior entre as etnias. O que eu percebo é que o governo conseguiu colocar todos contra todos. Hoje as pessoas
    têm que prestar muita atenção em tudo que se fala e se escreve, pois uma virgula mal colocada, talvez sem nenhuma mal intenção é taxado de racista, nazista, fascista, preconceituoso. Creio que pçara sanar esta situação ´somente com a educação n que estão teparassem com esta roubalheira desenfreada que parece nunca ter fim étnico-raciais

  3. sábado, 18 de novembro de 2017 – 1:31 hs

    È necessário mais respeito para com os nossos irmãos afro-descendentes,mas também que haja mais respeito com todos os seres humanos. Que haja mais respeito com o idoso, com o professor, com o policial, e que principalmente com os contribuintes (pagadores de impostos) que somos todos nós. Seria muito importante que os nossos políticos respeitassem os votos que receberam e trabalhassem em prol do povo e não de si e de sua família. É necessário que todos respeitem a todos. E que este respeito venha do coração de cada um e não por imposição como quer fazer o governo, pois a meu ver, parece estar formando um vale cada vez maior entre as etnias. O que eu percebo é que o governo conseguiu colocar todos contra todos. Hoje as pessoas
    têm que prestar muita atenção em tudo que se fala e se escreve, pois uma virgula mal colocada, talvez sem nenhuma mal intenção é taxado de racista, nazista, fascista ou preconceituoso. Creio que para sanar esta situação somente com a educação, vai demorar mais um dia haveremos de consolidar.

    *Desculpem o texto acima ainda estava incompleto quando o enviei por acidente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*