PF investiga dossiês de Cabral contra Lava Jato e juiz que o condenou | Fábio Campana

PF investiga dossiês de Cabral contra Lava Jato e juiz que o condenou

Do Estadão,

Ex-governador do Rio teria montado fundo milionário para bisbilhotar a vida pessoal e profissional do juiz Marcelo Bretas, da família do magistrado e de investigadores da operação que o levou para a prisão, informou o Jornal Hoje, da TV Globo

A Polícia Federal está investigando o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), agora por supostamente financiar a montagem de dossiês contra o juiz Marcelo Bretas, a família do magistrado e investigadores da Operação Lava Jato. As informações foram reveladas com exclusividade pelo Jornal Hoje, da TV Globo, nesta quarta-feira.
A investigação da PF é sigilosa.
Mesmo de dentro da prisão em Benfica, na zona Norte do Rio, Cabral – condenado a 72 anos de cadeia na Lava Jato e na Operação Calicute, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro – estaria financiando a bisbilhotagem contra seus algozes. Ele teria montado um fundo milionário para custear a arapongagem, informou a TV Globo.

A investigação mostra que, no dia 26 setembro passado, seis dias depois de condenado a 45 anos por Marcelo Bretas em um dos processos criminais da Operação Calicute, ocorreram oito consultas de registros de ocorrências sobre o magistrado e a mulher dele, que também é juíza.

Documento da Secretaria de Segurança Pública do Rio, ao qual o Jornal Hoje teve acesso, revela consultas aos registros de três delegacias, a 22.ª, a 35.ª e a 105.ª.

As consultas teriam sido realizadas por um funcionário da 22.ª Delegacia.

A PF quer saber a origem do dinheiro que o grupo ligado a Cabral está usando para financiar os dossiês e qual é o objetivo do ex-governador.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE SÉRGIO CABRAL

É uma mentira criada com nítido propósito de criar intriga entre o ex Governador e o magistrado, para incita-lo a determinar nova transferência para um presídio federal. Sérgio Cabral nada tem a ver com a consulta noticiada.


Um comentário

  1. Edson
    quarta-feira, 8 de novembro de 2017 – 17:51 hs

    Com a palavra o Gilmar Mendes, que o levou de volta para o Rio de Janeiro!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*