Cortesia com chapéu alheio | Fábio Campana

Cortesia com chapéu alheio

Os vereadores de Curitiba votarão na próxima segunda-feira um projeto de lei encaminhado pela Professora Josete, PT. O que ela quer? Obrigar shoppings, restaurantes, hipermercados, aeroportos e bares a disponibilizarem fraldários para uso dos clientes com bebês pequenos. Não seria necessário, porque praticamente todos os comércios de grande porte já têm isso (menos os bares, eu acho, mas como os bebês não os frequentam, tudo bem), uma fórmula de se adequar ao mercado, de oferecer diferencial ou de não ficar para trás da concorrência. Não precisa de lei.
Mas a Professora Josete quer mais, e quer mais com o dinheiro privado e as ideias que lhe pintam na cabeça: “o fraldário deverá ter lavatório, expurgo ou vaso sanitário, ducha higiênica, bancada de apoio e recipiente exclusivo para acondicionamento dos dejetos orgânicos e fraldas usadas, em espaço construído fora dos banheiros”.
É uma cortesia da Professora Josete à cidade. Com o chapéu alheio.


4 comentários

  1. Simões
    sexta-feira, 17 de novembro de 2017 – 12:13 hs

    A gente paga salário para estes caras para quê? Como sempre com idéias “geniais”. De que partido ela é mesmo? Só poderia ser do PT.

  2. Veredito
    sexta-feira, 17 de novembro de 2017 – 12:47 hs

    Eu não quero estar na pele dos seualunos. Já pensaram o

  3. Leitor de Verdades
    sexta-feira, 17 de novembro de 2017 – 15:29 hs

    Ela é a favor do estado interferir em tudo. Provavelmente seja um projeto aprovado pois ninguém quer ir contra as mães. Coitados dos empresários que terão que mais uma vez adaptar seus negócios a vontades de um político. Mas, o problema maior é que esta vereadora aparece muito para seus colegas, os sindicalistas, mas pouco faz pela cidade. Perceba que seus projetos são sempre para que possa marcar sua ideologia, quase sempre sem nenhum impacto positivo para a população. Uma pessoa ligada a sindicatos, que não entende a vida financeira do município e que exige que haja descumprimento da lei de responsabilidade fiscal, ainda paga de estudiosa e técnica nos corredores da casa. Uma vergonha não apenas para a política, mas também para a oposição ao executivo que sequer tem forças de apresentar caminhos alternativos e prefere ficar apenas no discurso demagogo e ideológico. E olha que ela não é a representante da classe dos professores que tem o discurso mais demagogo da Câmara hein! Tem outro lá que se vangloria de ser o diferente mas até agora nada de útil fez! Estamos de olho em todos!

  4. Uncle Joe
    sábado, 18 de novembro de 2017 – 17:56 hs

    Muito simples, é só não aprovarem tal projeto. Tanto falamos de democracia e quanto mais falamos mais pedimos Estado, chega de tanta lei, regulamento e decreto, o povo precisa de tempo para respirar e pensar por si só.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*