Ex-marido mata professora e é morto por policiais | Fábio Campana

Ex-marido mata professora
e é morto por policiais


Uma professora da rede municipal de ensino de 29 anos foi morta pelo ex-marido na manhã desta quinta-feira (2), em Curitiba. O crime aconteceu no bairro Xaxim e o homem foi morto por policiais em um confronto, quando tentava fugir. A família de Aline Luiz Lanes confirmou que o casal estava separado há cerca de dois meses, mas Ederson Silvério Francisco, 35, não aceitava o fim do relacionamento.

De acordo com informações apuradas no local, a professora morava com a filha do casal, de 4 anos, em um apartamento na rua Waldemar Loureiro de Campos. A mãe de Aline estaria na casa da filha no momento do crime. Ederson teria ameaçado o porteiro, caso não o deixasse subir. A professor foi morta dentro da guarita do porteiro, o que indica que ela desceu até o térreo para apaziguar a situação. Segundo a Polícia Científica, ela foi morta por dois disparos de arma de fogo.

Depois de matar a ex, o homem correu com a arma em punho e se deparou com uma viatura da Polícia Militar (PM). Ele se recusou a entregar a arma, disparou contra os policiais, e foi morto no confronto, com três disparos.

Uma ambulância do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionada, mas o casal já estava morto. “São duas vítimas aqui, uma moça e um rapaz. Pela proximidade, atendemos primeiro ela, mas ela não resistiu, ele também. vizinhos e porteiros comentaram que foi uma briga entre os dois, depois ele fugiu com a arma. Dois jovens, infelizmente”, contou a médica do Siate Michele Gripa.

O tio da professora contou que o casal estava separado há dois meses. “Ele tentou se matar esses dias, estava fazendo muita loucura. Acordou hoje e veio atentar a menina. Ele já tinha ameaçado ela”, contou Romário Martins, em entrevista à Banda B.

O ex-marido estava proibido de acessar o prédio, conforme confirmou Ezequiel Martins, administrador do condomínio. “Havia uma recomendação para que ele não acessasse o prédio. Então, hoje cedo, eles conversaram pelo interfone e ele foi embora. Voltou armado, disposto a matar, mesmo”, finalizou.


Um comentário

  1. QUESTIONADOR
    domingo, 5 de novembro de 2017 – 12:20 hs

    -Mais duas mortes que poderiam ter sido evitadas!!!
    -Até que ponto a sociedade vai admitir tais crimes???
    -E a maior vítima desta violência é a filha do casal. Já pensaram o que os avós vão responder para esta menina quando ela perguntar porque os pais não estão mais presentes?? E quando for mais velha e tiver consciência, já pensaram no psicológico desta moça??
    -Por que não houve um tratamento psicológico para este casal, sabendo que o rapaz não estava com comportamento adequado para esta situação???
    -Afinal de contas…não sabemos o futuro e nem como agir em caso semelhante, rogamos à Deus que proteja nossas famílias e as famílias dos outros!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*