De volta ao passado | Fábio Campana

De volta ao passado

Biarticulados poderão ter espaço preferencial para mulheres

De que maneira tratar os casos de abusos, violências e assédios sexuais nos ônibus de Curitiba? A vereadora Maria Leticia Fagundes (PV) propõe criar um espaço preferencial para mulheres nos ônibus biarticulados. Ela explicou que “somente no primeiro semestre desse ano, a Guarda Municipal registrou 53 casos de assédio em ônibus”.
Para não criar impacto financeiro a sugestão da vereadora é de que cada biarticulado tenha um ‘vagão’ reservado identificado como “Espaço Preferencial para Mulher”.
Essa é uma discussão que já rolou na Câmara no passado, quando o vereador Rogério Campos (PSC) propôs ônibus exclusivos. E para aquele momento foram levantados alguns argumentos que derrubaram a matéria e que talvez também caibam aqui: Fere o direito da igualdade, e, por isso, é inconstitucional / Não resolve o problema de assédio e violência contra as mulheres / Teria um custo implícito para as empresas e traria custo a todos os passageiros.
Questões um pouco mais profundas poderiam ter sido levadas em consideração pela vereadora, como, por exemplo, o que pode causar o incentivo de segregação entre homens e mulheres? Ou, um pensamento mais simples: uma mulher que entrar no ‘vagão’ que não seja o especial feminino, estará disposta ao vale tudo que acontece dentro dos ônibus?
As soluções para as barbaridades não estão em caixas simples, elas passam por educação, punição, atenção; mas nunca, nunca mesmo, por segregação – com o perdão das rimas.


Um comentário

  1. Uncle Joe
    quarta-feira, 22 de novembro de 2017 – 19:40 hs

    Adoro demagogia barata, mas esta realmente leva o caso às raias do absurdo. Este ano um vereador chegou a propor outro absurdo, que todos os assentos dos ônibus são preferenciais, aí eu nunca mais vou viajar em pé, sou um velho de 62 anos, assim diz a lei não eu. repito,adoro demagogia barata.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*