PIB per capita do Brasil subiria 30% sem corrupção | Fábio Campana

PIB per capita do Brasil subiria 30% sem corrupção

Segundo um estudo de pesquisadores do FMI (Fundo Monetário Internacional), o Brasil seria até 30% mais rico se suas instituições fossem menos corruptas. As informações são da Folha de S. Paulo.

O estudo, elaborado pelo economista Carlos Eduardo Gonçalves e outros, ainda não publicado, afirma que o PIB per capita do país (produto interno bruto dividido pela população) cresceria US$ 3 mil (R$ 9,6 mil) nessas circunstâncias.

Em 2016, o PIB per capita do país foi R$ 30.407, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os pesquisadores do FMI estimaram como seria se o Brasil tivesse condições mais próximas às do Chile, Costa Rica e Uruguai, considerados os países menos corruptos da América Latina.

Em 2014, o Fórum Econômico Mundial estimou que o custo da corrupção é de 5% do PIB mundial, ou US$ 2,6 trilhões.

“Existe um problema de ovo e galinha quando se estuda corrupção e renda”, afirma Carlos Eduardo Gonçalves. “Os países que são mais ricos têm mais recursos para combater a corrupção, então é difícil isolar causa e efeito.”

Para ajudar a entender a relação entre os dois, o estudo incluiu a medida da “heterogeneidade étnico-religiosa” de cada país, partindo da premissa de que, quanto maior a diversidade da população, maior a corrupção.

“Se um país é muito heterogêneo em várias dimensões, ele geralmente apresenta uma taxa mais alta de corrupção. Quando todo mundo é parecido entre si, é menos provável que um grupo tente roubar para favorecer os seus”, afirma Gonçalves.

“Essa é uma variável bastante associada à corrupção”, afirma Marcus Melo, cientista político. “Usando esse método, o estudo torna a estimativa mais precisa e menos sujeita a erros que resultam da heterogeneidade.”

Outros estudos acadêmicos já concluíram que a corrupção aumenta quanto maior for a diversidade étnica, e alguns pesquisadores preferem entender essa medida como um indicador dos conflitos étnicos e raciais de um país.


3 comentários

  1. Sergio Silvestre
    domingo, 15 de outubro de 2017 – 11:38 hs

    Por que do Golpe,esses 30% é a meta do dinheiro que eles roubam e que se alguem se contrapor nisso eles derrubam,ai idiotas.

  2. vIRA Lata
    domingo, 15 de outubro de 2017 – 12:31 hs

    Vagabundos !

  3. Carlos
    domingo, 15 de outubro de 2017 – 23:09 hs

    O grande desafio é entender que o que determina o sucesso ou fracasso de uma sociedade não é a etnia, “raça” ou religião da população, mas sim a qualidade da sua cultura dominante (valores, costumes, etc.). Quanto mais evoluída culturalmente é uma sociedade, mas desenvolvida ela também é.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*