PF investiga fraude em financiamentos agrícolas do BB no governo Dilma | Fábio Campana

PF investiga fraude em financiamentos agrícolas
do BB no governo Dilma

Do Diário do Poder

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça (31) a segunda fase da operação Turbocred, para combater o desvio de verbas públicas por meio de fraudes em financiamentos agrícolas no Banco do Brasil durante o governo Dilma, entre 2012 e 2015, inclusive quando Aldemir Bendine, atualmente preso na Lava Jato, presidia a instituição.

São cumpridos 39 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Espírito Santo e Goiás. Policiais foram deslocados às residências de tomadores de empréstimos considerados “fraudulentos”, funcionários e ex-funcionários do Banco do Brasil, e de pessoas que atuaram como “laranjas” nas fraudes.

A segunda fase da operação Turbocred decorre da análise da documentação apreendida em agências do Banco do Brasil durante a primeira fase, em 17 de maio do ano passado. Foram analisadas 149 operações de financiamentos agrícolas, 13 de outras modalidades e 90% haviam sido fraudadas, de acordo com a PF.

Entre os tipos de fraude apurados no inquérito estão a obtenção de financiamentos para custear atividade agrícola em imóvel próprio, mas usado em imóvel arrendado a terceiros; falsificação de carta de arrendamento para empréstimos de atividade agrícola fictícia e a tomada de sucessivos financiamentos para diversos empreendimentos agrícolas, sem capacidade financeira.

A PF informou que as investigações apontam pagamento de propina a funcionários do Banco do Brasil para a obtenção de financiamentos por meio de contas-correntes em nome de “laranjas”. “Os investigados responderão, na medida de suas participações, por crimes de gestão fraudulenta e gestão temerária de instituição financeira, aplicação de recursos de financiamento em finalidade diversa, previstos na lei de crimes financeiros, além de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa, com penas de um a 12 anos de prisão”, informa a PF.


6 comentários

  1. Maquiavel
    terça-feira, 31 de outubro de 2017 – 11:43 hs

    BB agrícola não era a praia do Urtigão?

  2. EDILSON HUGO RANCIARO
    terça-feira, 31 de outubro de 2017 – 18:18 hs

    A PF DEVE INVESTIGAR NOS MUNICÍPIOS. EXISTEM FRAUDES NO PROGRAMA AOS PEQUENOS PRODUTORES. VEJAM O MUNICÍPIO DE FOZ DO JORDÃO NA LEGISLATURA ANTERIOR.

  3. Laertes Marcondes Lopes
    terça-feira, 31 de outubro de 2017 – 20:55 hs

    Justamente no período, que o OM atuava no banco como vice presidente de agronegócios.

  4. terça-feira, 31 de outubro de 2017 – 23:50 hs

    Demorou mas apareceu o furo

  5. terça-feira, 31 de outubro de 2017 – 23:50 hs

    Demorou mas apareceu o furo

  6. MARIA DOS SANTOS
    segunda-feira, 6 de novembro de 2017 – 13:51 hs

    daqui a pouco sobrará para Osmar Dias, pobre candidato que sempre leva ferro e azar quando estava a sombra dos corruPTos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*