'Ô imbecil, ô idiota, filho de uma puta' | Fábio Campana

‘Ô imbecil, ô idiota, filho de uma puta’

O médico Ricardo Franco, do Samu da Baixa Mogiana, xingou ao telefone um homem que tentava ajudar uma mulher ferida em acidente de moto no centro de Mogi Mirim, em São Paulo. O diálogo foi gravado e já está na Secretaria de Saúde para providências.
A conversa, é a que segue:

Homem: Um acidente aqui no centro de Mogi Mirim, a moça está caída no chão, de moto.
Médico: O que ela está sentindo, você conseguiu ver?
Homem: Não. Quer saber o que ela está sentindo.
Mulher ao fundo: Fala pra ele que é uma emergência.
Homem: Gente, pelo amor de Deus, é uma emergência. A moça está caída de moto aqui, pelo amor de Deus, gente.
Médico: Sr, eu estou fazendo as perguntas que são necessárias. O sr não quer responder?
Homem: Não, não é que eu não queira responder. Tá precisando da ambulância aqui. Ela está desacordada aqui, eu vou perguntar para ela o que ela está sentindo?
Médico: O que ela está sentindo? Ela está machucada?
Homem: Ela está desacordada, meu senhor.
Médico: Tá bom, estou enviando a ambulância. Então, é isso que eu queria ouvir, mas a tua ignorância é tanta que você não consegue responder.
Homem: E a demora de vocês é tanta também, pelo amor de Deus.
Médico: Que demora? Não faz um minuto que você está falando comigo, ô imbecil.
Homem: Imbecil é você.
Médico: Ô idiota, ô idiota, filho de uma puta.
Homem: Manda a ambulância aqui, tá precisando. O filho de uma puta é você.
Médico: Vai se fuder, ô desgraçado.
Homem: Está sendo gravado, viu?
Médico: O meu também está gravado. Vai tomar no seu cu, filho de uma puta.
Homem: Manezão, tá todo mundo te escutando aqui, xarope.


5 comentários

  1. quinta-feira, 5 de outubro de 2017 – 17:56 hs

    médico cubano???

  2. Sapo Eletrico
    quinta-feira, 5 de outubro de 2017 – 19:38 hs

    É isso que acontece quando a gente chama os outros de ignorante.

    Uma vez eu estava dentro de um ônibus intermunicipal.
    Tentei abrir a janela e a janela não abria.

    Ai um sujeito falou assim para um outro a seu lado:

    – Ignorante, não sabe que o ônbus tem ar condicionado e que as janelas não abem!
    – Fiquei quieto, mas a vontade era de pular no cara.

  3. Louise
    sexta-feira, 6 de outubro de 2017 – 6:17 hs

    Vou entrar nesse convescote para tentar interpretar porque a conversa se deteriorou naquela ligação. O médico ao atender o telefone queria que a pessoa que fazia a ligação lhe informasse, como leigo, o estado geral do paciente. O interlocutor longe de entender o que o médico queria e aparentemente descomprometido, levou o Dr. a um stress inesperado para profissionais desse serviço! Esse caso deveria ser levado para as escolas para ensinar as pessoas em geral, a como fazer uma ligação para o serviço de emergência.

  4. sexta-feira, 6 de outubro de 2017 – 9:58 hs

    concordo com o final da frase da Louise “Esse caso deveria ser levado para as escolas para ensinar as pessoas em geral, a como fazer uma ligação para o serviço de emergência.”….coisas do dia a dia deve-se aprender na escola.

  5. Veredito
    terça-feira, 5 de dezembro de 2017 – 14:04 hs

    Pedro e Louise, nada justifica a conduta sendo médico. Se ele está com o tal de estresse que voces falam, sendo médico devia ficar em casa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*