Morte de Cancellier é um desencanto | Fábio Campana

Morte de Cancellier é um desencanto

Por Elio Gaspari, na Folha SP

Depois de ter afastado o professor Luiz Carlos Cancellier da reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina, proibindo-o de entrar na instituição e de ter determinado sua prisão provisória (revogada por outra juíza), a doutora Janaína Cassol Machado, titular da 1ª Vara Federal de Florianópolis atendeu a um requerimento da defesa e decidiu:

“Diante do parecer do Ministério Público, deve ser deferido o pedido, ressaltando-se que a última entrevista começa às 17h30, de modo que a autorização deve se estender para às 18h. No entanto, ressalta-se que o ingresso de Luiz Carlos Cancellier de Olivo nas dependências da UFSC deve ser deferido única e exclusivamente para participar da sessão pública, na data e horário acima especificado.”

Tradução: o professor podia entrar na universidade no dia 5 de outubro, mas só das 15h às 18h. Terminado o serviço, devia ir embora.

Cancellier não usufruiu o benefício concedido pela juíza. Entrou na Federal de Santa Catarina três dias antes, no final da tarde de 2 de outubro, morto, para ser velado. Ele se suicidara, jogando-se no pátio interno de um shopping center de Florianópolis.

A morte do professor jogou nas costas dos cidadãos que o acusaram, investigaram e mandaram para a cadeia a obrigação de mostrar que fazia sentido submetê-lo ao constrangimento. Se a chamada “Operação Ouvidos Moucos” acabar em pizza, vai-se estimular a impunidade das redes de malfeitorias encravadas em dezenas de programas de bolsas de estudo do país.

Chegou-se a dizer que a operação policial na qual o professor foi preso investigava o desvio de R$ 80 milhões de um programa de educação a distância. Mentira. R$ 80 milhões foi o valor total do programa. As maracutaias não aconteceram durante a gestão de Cancellier. Havia trapaças no pedaço, envolvendo servidores e empresários, mas o reitor nunca foi acusado de ter desviado um só tostão.

Cancellier foi denunciado pelo corregedor da UFSC, doutor Rodolfo Hickel do Prado por tentar obstruir seu trabalho. Num artigo publicado depois de sua prisão, o reitor revelou que nunca foi ouvido pela auditoria interna. A Polícia Federal investigou o caso e a delegada Erika Marena, madrinha da marca Lava Jato (Flávia Alessandra no filme “A Lei é Para Todos”), pediu a prisão do reitor. Ela também não o ouviu. Depois de solto, Cancellier ficou proibido de pôr os pés na universidade.

Nos dias de hoje, proibir um reitor afastado de pisar na universidade serve apenas para humilhá-lo. Vale lembrar que a ditadura nunca proibiu os professores que cassou de entrar nas escolas. Um bilhete encontrado na jaqueta que Cancellier vestia quando se matou diz que “minha morte foi decretada quando fui banido da universidade” (Quando três ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal obrigam Aécio Neves a dormir em casa, produzem apenas barulho, a menos que estejam defendendo a temperança nas noites de Brasília e do Rio).

As patrulhas da polícia e do Ministério Público devem pensar pelo menos uma vez antes de pedir a prisão um cidadão. Isso porque abundam os sinais de que se pensa mais no espetáculo da publicidade do que nos direitos dos brasileiros. Era realmente necessário prender Cancellier? Soltando-o, era necessário proibi-lo de entrar na universidade?

Guimarães Rosa ensinou: “As pessoas não morrem, ficam encantadas”. O reitor Cancellier tornou-se um desencanto para o Brasil da Lava Jato.


11 comentários

  1. Sergio Silvestre
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 14:11 hs

    Eu sempre achei que a policia ou os que a comandam não são sérios,não cumprem a lei e gostam de holofotes.
    A contravenção campeá,basta ver nas esquinas os bingos,caça niqueis e toda sorte de infração enquanto os comandantes est6ão ali nos batalhões ordenando seus policiais para fazerem blitz para pegar trabalhadores que estão indo trabalhar com impostos escorcheantes que não podem pagar e depois de pegos não blitz tem que vender o carro para pagar os encargos.
    A Lava-jato virou piada,recibos ideologísticos,sítios .aptos picuinhas enquanto o Brasil vira terra arrasada pela bandidagem politica no qual eles apoiam.
    Esse caso do reitor é mais um dos escândalos dessa policia e justiça partidária e ca entre nós,o Moro é uma vergonha nacional para quem pensa .

  2. Luiza Miranda
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 14:22 hs

    “…para manter a democracia longe da sofreguidão de querer impor de plano a moralidade pública é preciso a cautela de respeitar a Constituição. Sabe-se como começa, mas não como termina agir acima da disciplina constitucional para pretensa redenção do País, mergulhado no desmando e na corrupção. Basta ler os Considerandos do Ato Institucional n.º 1, de abril de 1964. É a lição da História”. (Miguel Reale Junior, no artigo “A lição da História”, no Estadão de 7/10/2017).

  3. Palpiteiro
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 15:51 hs

    E a filosofia KGB-Gestapo fazendo história no Brasil.

  4. Luiz Antonio
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 16:08 hs

    Lamento profundamente a morte do reitor, mas, torná-lo um mártir não vai ajudar a esclarecer os fatos. Ele, no mínimo, errou por omissão quando não investigou as denuncias que chegaram até ele. Este ato insano não vai inocentá-lo, pelo contrário, trará mais nebulosidade ao caso.

  5. Carlos Macedo
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 18:54 hs

    Os excessos da PF e do Ministério Público (Federal e Estadual) tem de ser punidos também. Igualmente juízes, que concedem pedido de prisão de investigados que sequer foram ouvidos.
    Se a sociedade não fosse careta e estúpida, a Lei de Abuso de Autoridade estaria em vigor para punir esse pirotecnistas que tudo fazem para se promover. Esta lei não puniria profissionais discretos e centrados, como o juiz Sérgio Moro, por exemplo, mas sim aqueles que dão entrevistas coletivas condenando réus sem investigação séria. Moro também já errou, mas admitiu seu erro e reconsiderou, com pedido de desculpas.
    Mas não é o que ocorre com a maioria de delegados, promotores, procuradores e magistrados.
    Para que superfaturar escândalos, como esse caso da UFSC?
    Por que humilhar o Reitor? Por que a prisão noturna de Aécio? Por que prender gente acusada sem provas? Por que delatores sem provas são levados a sério?
    O Brasil precisa ser repensado.
    Como disse Hélio Gaspari: “a ditadura nunca proibiu os professores que cassou de entrar nas escolas.”
    Que país é esse desses delegados que fazem o que querem, como o da Carne Fraca, que nos prometeu um escândalo cósmico, complicou a economia do país, e nos entregou um pífio conluio de ladões de galinha? E não tem punição?

  6. luiz
    domingo, 8 de outubro de 2017 – 19:15 hs

    Fez o que fez, por ser um covarde.

  7. Alvaro Santos
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 7:10 hs

    Reitor, deixa de ser frouxo. “Seje omi” como dizia a nona. Enfrente as adversidades. Humilhado… humilhado está o povo, a sociedade, os nossos folçhos sendo doutrinados por essa cambada de comunistas travestidos de professores.

    PS.- Viva Chê… ardendo no inferno.

  8. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 8:26 hs

    Vamos falar do Alvaro Santos que postou ai em cima,que será que esse sujeito tem por dentro,deve ter votado ontem para separar o Brasil,não deve ter paciência com seus filhos e esposa,deve pisar no pescoço de um cachorrinho recém nascido.
    Esse é um protótipo de (homem?)que passa desapercebido pela vida como um traste qualquer,desprovido de piedade e de moral.

  9. Felipe Máximo
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 9:18 hs

    SS você é um bosta! se toca, canalha!!!!!

  10. Gilmar
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 10:25 hs

    Tenho dito e repito, a prisão provisória demais medidas acatulatórias só se justificam quando o delito é FLAGRANTE, eis que nos termos do 312 do CPP, consta de forma CLARA E EXPLÍCITA.
    Art. 312 .. quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.
    Mas isso ñ vendo sendo respeitado. Lamentável..

  11. Juca
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 12:38 hs

    SS Calça Frouxa, quantas gramas de mortadela de 2ª custaram para fazer teus comentários ridículos acima?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*