Férias com o nosso dinheiro | Fábio Campana

Férias com o nosso dinheiro

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, embarcou, acompanhado da esposa e nove deputados para um turismo básico de nove dias no exterior. O valor total da excursão ainda não foi divulgado, mas a conta será, obviamente, arcada pelos cofres públicos.
O roteiro, que ocupará avião da FAB, inclui turismo em Jerusalém e Belém na terça-feira (31) e um dia de “agenda privada” no sábado (4), em Lisboa. Ao todo, os deputados (e a mulher de Rodrigo Maia!) irão passar por Israel, Palestina, Itália e Portugal.
Na comitiva, os deputados oposicionistas Rubens Bueno (PPS-PR) e Orlando Silva (PCdoB-SP). E os governistas Baleia Rossi (PMDB-SP), Marcos Montes (PSD-MG), José Rocha (PR-BA), Alexandre Baldy (PODE-GO), Benito Gama (PTB-BA), Heráclito Fortes (PSB-PI) e Cleber Verde (PRB-MA). Este último, assim justificou sua viagem: “É o acompanhamento com essa prioridade que foi divulgada, com o que está posto na informação [do roteiro divulgado pela Câmara]. Basicamente acompanhá-lo nessa missão oficial, com isso que está posto no comunicado oficial”.
Eu pergunto: esta turma causa mais prejuízo aos cofres quando sai em passeio ou quando está no Congresso?
O roteiro da viagem:

Da Folha de S. Paulo:

Entre os compromissos oficiais, consta encontro com representantes de empresas israelenses da área de segurança pública, no domingo (29), e uma reunião com o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, no dia seguinte.

Na terça (31), o roteiro prevê apenas “visitas a Jerusalém Leste e a Belém.” No dia seguinte, a comitiva segue para a Palestina, onde se encontra, entre outros, com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

Na Itália, o único compromisso é uma cerimônia no “monumento votivo militar brasileiro”, na quinta-feira (2). O local fica em Pistóia (norte da Itália) e foi feito em substituição ao cemitério onde jaziam os soldados brasileiros que morreram em combate na Segunda Guerra Mundial.

De lá, a comitiva liderada por Maia segue para Lisboa, onde há encontro com diplomatas brasileiros e uma palestra de encerramento do 4º Seminário Internacional de Direito do Trabalho.

O sábado é reservado apenas para “agenda privada” em Lisboa.

Objetivos

Questionado sobre o objetivo da viagem e qual foi o argumento de Maia para convidá-lo, Cleber verde disse à Folha, genericamente, que a razão é acompanhar o presidente da Câmara. “É o acompanhamento com essa prioridade que foi divulgada, com o que está posto na informação [do roteiro divulgado pela Câmara]. Basicamente, acompanhá-lo nessa missão oficial, com isso que está posto no comunicado oficial”.

O informe da Câmara se resume a listar o roteiro. Verde não soube dizer o que seria a “agenda privada” do sábado em Lisboa.

Benito Gama também não soube dizer qual compromisso privado é esse. Afirmou que o objetivo da viagem se insere no compromisso de Maia de conversar com investidores e realizar uma integração com outros parlamentos, o que inclui agenda política comum e contenciosos entre os países.

Além do custo aéreo da FAB, o dinheiro público envolvido na viagem inclui diárias para bancar hospedagem, transporte local e alimentação. Ela é de US$ 428 (R$ 1.408) para cada um dos deputados. Devido ao seu cargo, Maia tem direito a um valor maior: US$ 550 (R$ 1.808).

A assessoria de imprensa de Maia disse que como o presidente da Casa integra a comitiva todos os parlamentares têm direito à diária mais alta, de US$ 550. Mas que valerá nesse caso “uma prática que vem sendo adotada nas últimas missões oficiais” de limitação de cinco diárias por deputados. “O dia livre da agenda [se refere ao sábado em Lisboa] ocorrerá depois do 5º dia da missão, não sendo, portanto, passível de recebimento de diária”, disse a assessoria, em nota.

Ao todo, cada deputado receberá US$ 2.750 (R$ 8.921). Ou seja, só as diárias, somadas, custarão quase R$ 90 mil aos cofres públicos.

Cleber Verde e Benito Gama disseram que não irão levar acompanhantes. A Câmara só confirmou a ida da mulher de Maia. “É permitido ao parlamentar levar convidados, desde que arque com seus gastos. A Câmara não paga diárias nem passagens a essas pessoas.”

Por meio de sua assessoria, o presidente da Câmara afirmou que o objetivo da viagem “é fortalecer o instrumento da diplomacia parlamentar e debater temas de interesse do Brasil, como geopolítica, comércio bilateral, cultura e turismo”. Ela afirmou que foram convidados “líderes partidários e parlamentares com atuação nas áreas relacionadas.”

No começo do mês, Maia aceitou um convite oficial para uma visita feito pelo presidente do Parlamento israelense, Yuli Edelstein.

O convite pode ser considerado um resultado de reunião entre Netanyahu, e o presidente brasileiro, Michel Temer (PMDB), durante a Assembleia-Geral da ONU, em setembro.

Brasília tinha ficado incomodada por Netanyahu não ter visitado o país em seu giro de quatro dias na América Latina, também em setembro. O primeiro-ministro disse que o Brasil não entrou no cronograma da viagem por causa da crise política que atravessa. Na viagem, Netanyahu passou por Argentina, Colômbia e México.

Maia é cotado para disputar o governo do Rio e até a Presidência da República. À Folha, o presidente da Câmara disse que, após a votação da segunda denúncia contra Temer, o Planalto ficou “fragilizado” e “desgastado”. Segundo ele, o governo não tem mais votos para aprovar projetos importantes na Casa.

Na manhã deste sábado (28), a assessoria do presidente da Câmara afirmou que ele decidiu abrir mão do recebimento das suas diárias.


9 comentários

  1. MC JUNIOR
    domingo, 29 de outubro de 2017 – 12:05 hs

    2018 esta ai, fora com eles…

  2. Geraldo Martins
    domingo, 29 de outubro de 2017 – 12:29 hs

    Seguinte: Não sou de desejar mal prá ninguém, mais em um momento terrível que passa o país essa meia dúzia de vagabundos e ainda levar esposas pra fazer turismo as nossas custas é no mínimo motivo pra se indignar. Num país onde o povo não tem nada, não tem segurança, não tem sistema de saúde, não temos governo…

  3. Valpersou
    domingo, 29 de outubro de 2017 – 12:30 hs

    Acorda povo brasileiro, 2018 é hora de mudança do jeito q esta nao pode ficar temos que trocar todos TODOS os politico vamos votar em gente nova e gente que quer uma reduçao na camara federal senado deputados estadual e municipal trocar TODOS por gente nova e fazer uma reduçao salariao cortar despesas a começar pelos politicos e reduçao dos politico para 1/3 no minimo. Só nos podemos mudar esse cenario politico.

    Vaamos votar em gente nova,fica 4 anos .Renovamos dinovo .

  4. Edson
    domingo, 29 de outubro de 2017 – 13:06 hs

    E o eleitor burro continua dormindo e sempre votando nos mesmos! Ou será que votam? Quem garante que os empossados realmente foram eleitos? No Brasil e na política tudo se fabrica! Soltam-se bandidos, anistiam-se devedores, armam tramoias para defender o mandato, legislam em causa própria, um Supremo que age de uma maneira hoje e na semana seguinte muda sua opinião, uma OAB que só grita quando os interesses de sua classe são prejudicados! O que mais se esperar?

  5. Augustinho das Andorinhas
    domingo, 29 de outubro de 2017 – 14:35 hs

    Até tu Rubinho vai viajar nessa comitiva, cadê o limpinho,. Não embarca nessa é sacanagem KKK K9

  6. Mateus Barreto - Umuarama.
    segunda-feira, 30 de outubro de 2017 – 15:30 hs

    Esse deputado Rubéns Bueno é uma vergonha para o Paraná, eu até o defendia, mas de agora em diante sou contra ele .. se faz de “limpinho” mas no fundo é um aproveitador barato.

  7. segunda-feira, 30 de outubro de 2017 – 18:08 hs

    E o povo aplaude esses ratos gastando o dobro do salário do mês de um Brasileiro trabalhador em uma simples diária, os próprios que elaboram as leis em prol dos seus próprios bolsos.

  8. terça-feira, 5 de dezembro de 2017 – 15:39 hs

    É NÉ ? INTERVENÇÃO MILITAR JÁ !

  9. tadeu rocha
    quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018 – 11:24 hs

    ESSES ACIMA QUE POVO BRASILEIRO TEM QUE LIMINAR DA POLITICA, QUE VERGONHA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*