Edital da Copel: coquetel, almoço e churrasco | Fábio Campana

Edital da Copel: coquetel, almoço e churrasco

Por Alexsandro Ribeiro, do Livre.jor

Picanha, filé mignon e argentino, salgados “finos/requintados” e tábua de frios com “itens de primeira linha” com salame italiano, presunto e peito de peru. Não serão aceitos “apresuntado, mortadela e outros”. Estes são alguns dos itens dos cardápios e orientações previstos no edital da Copel para contratação de empresa para serviço de buffet. O custo máximo do lote, segundo extrato da licitação publicado no Diário Oficial da Indústria, pode alcançar o montante de R$ 185 mil e a refeição pode chegar a R$ 104,00 dependendo do cardápio.
Está previsto no edital cardápios para coquetel, coffee-break, café da manhã, almoço, churrasco e jantar. As refeições serão realizadas em eventos como “seminários, palestras, reuniões, congressos, workshops e inaugurações, entre outros eventos institucionais” em Curitiba. Pelo documento de licitação, no entanto, a Copel poderá solicitar à empresa vencedora “realização do serviço fora da região metropolitana de Curitiba”.

Pelo edital a Copel não é obrigada a contratar todas as refeições cotadas, mas sim apenas as que foram de fato utilizadas. Entre todos os tipos de cardápios, serão ao todo 4.810 refeições. Pelo custo máximo, a média de cada uma seria de R$ 38,56, ou seja, R$ 6,00 superior ao preço médio calculado pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert) para alimentação fora do domicílio em Curitiba, de R$ 32,06.

Os custos máximos unitários e as quantidades previstas, no entanto, variam para cada tipo de cardápio no edital. O coffee-break especial, por exemplo, pode custar até R$ 24,00 por pessoa, e a empresa pode comprar até 1.600 refeições. O coffee-break básico, item com o menor valor unitário na tabela, no entanto, de até mil unidades, pode custar até R$ 14,40. Na outra ponta, a refeição mais cara segundo o edital é o almoço tipo empratado, que pode chegar a R$ 104,50. Acesse o site da Copel e confira a íntegra do edital.


4 comentários

  1. verdade verdadeira
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 13:57 hs

    Dinheiro público é pra isso mesmo, deitar e rolar.
    E pode ter certeza de que vai sair um aditivo (ou alguns), alegando prejuízo.

  2. Mimi
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 14:48 hs

    E o povo na sua humilde conta pagando sempre estas mordomias dos marajás da Copel !

  3. JUSTICEIRO
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 17:40 hs

    Dinheiro público provindo das tarifas de energia é isso aí .Em empresa privada isso não acontece pois afetaria os lucros. É por isso que o governo é contrário a privatização da COPEL. E o Governador Richa, o que tem a dizer?

  4. Kaue Mandarino
    segunda-feira, 9 de outubro de 2017 – 11:52 hs

    Entrei no site mas não achei o edital a qual vc se refere…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*