Congresso versus STF | Fábio Campana

Congresso versus STF

Eunício Oliveira, presidente do Senado, provoca o STF: “O que está se discutindo no momento é a questão da constitucionalidade, não a defesa do senador A ou do senador B. Até disse com muita clareza, eu não sou advogado do senador Aécio e não sou advogado de nenhum senador. Os Poderes são independentes entre si. Não existe Poder superior a outro Poder. Nem o Congresso que faz as leis é superior a qualquer outro Poder. Nem qualquer outro Poder é superior ao Congresso, que avalia também inclusive impeachment de outras autoridades, como ministro do Supremo, procurador-geral da República, cassação do presidente da República.”
Numa tentativa de entendimento, a presidente do Supremo pautou para o próximo dia 11 uma Ação Direta de Inconstitucionalidade que trata de medidas cautelares contra parlamentares. A ação questiona se tais medidas, como o afastamento e o recolhimento noturno imposto a Aécio, precisam de autorização dos plenários do Senado e da Câmara.
A queda de braço parece que nubla a questão e vai deixando cada vez mais longe os motivadores para sua ocorrência. Se bobear, daqui a pouco ninguém lembra o que Aécio Neves fez e ele será reeleito recordista de votos.

(Foto: Marcelo Camargo/Agência de Notícias)


3 comentários

  1. Juca
    terça-feira, 3 de outubro de 2017 – 10:23 hs

    “Se o Senado brasileiro não fosse majoritariamente um antro de ladrões e quadrilheiros da República, ele seria agradecido à 1ª Turma, pela limpeza que está tentando fazer”. Artigo do jurista Luiz Flávio Gomes.

  2. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 3 de outubro de 2017 – 10:43 hs

    Quem começou a confusão? É claro que foi o trio ternura. Será que é verdade que um deles brindou alguma coisa com champanhe, logo depois da sessão?

  3. Simões
    terça-feira, 3 de outubro de 2017 – 11:36 hs

    Não se trata se Aécio é culpado ou não, se trata sim que o STF não vêm cumprindo suas obrigações faz tempo.

    Quantos processos contra políticos existem no STF que até hoje estão nas gavetas sem solução. De repente, mais que de repente, a corte máxima resolve cair de pau em cima de um senador, quando a grande maioria do senado responde a processos que nunca têm fim, não vou citar nomes mas todos que aqui frequentam sabem quem são.

    Além do que quando sua excelência Ricardo Levandowski rasgou a Constituição deste país ao fatiar o impeachment da Dilma perdeu-se o respeito àquela corte pelo povo brasileiro.

    Portanto, pau que dá em chico dá em francisco brincaram até agora com as Leis do país, agora aguentem a palhaçada que ai está.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*