Bolsonaro condenado | Fábio Campana

Bolsonaro condenado

No dia 3 de abril, o deputado Jair Bolsonaro fez uma palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o deputado afirmou que visitou uma comunidade quilombola e “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas”. Ainda citando a visita, disse também: “Não fazem nada, eu acho que nem pra procriador servem mais”.
Uma ação civil pública foi movida, a acusação: danos morais coletivos a comunidades quilombolas e à população negra em geral. Os procuradores da República sustentaram que Bolsonaro usou informações distorcidas, expressões injuriosas, preconceituosas e discriminatórias com o claro propósito de ofender, ridicularizar, maltratar e desumanizar as comunidades quilombolas e a população negra e pediram R$ 300 mil por danos morais.
Bolsonaro se defendeu a dizer que havia sido “convidado pela Hebraica RJ como deputado federal para expor as suas ideologias para o público em geral” e, nesta qualidade, “goza de imunidade parlamentar, sendo inviolável, civil e penalmente, por qualquer de suas opiniões palavras e votos”.

A juíza Frana Elizabeth Mendes não concordou e condenou o deputado ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 50 mil. E colocou no texto da sentença: “Impende ressaltar que, como parlamentar, membro do Poder Legislativo, e sendo uma pessoa de altíssimo conhecimento público em âmbito nacional, o réu tem o dever de assumir uma postura mais respeitosa com relação aos cidadãos e grupos que representa, ou seja, a todos, haja vista que suas atitudes influenciam pessoas, podendo incitar reações exageradas e prejudiciais à coletividade.”

A assessoria de imprensa de Jair Bolsonaro informou que o deputado vai recorrer.


6 comentários

  1. Rr
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 12:43 hs

    Continua tendo o meu voto e o de toda minha família.

  2. Freddy Kruger
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 13:10 hs

    Este tem o “saco roxo” e nosso apoio para Presidente !

  3. serginho
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 13:13 hs

    Ser condenado por dizer a verdade é uma honra! Bolsonaro 2018 !

  4. LENZA TOLEDO
    quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 14:03 hs

    é corajoso!

  5. quarta-feira, 4 de outubro de 2017 – 16:44 hs

    SÓ UM XAROPE QUE AINDA PENSA QUE PODE TUDO, MÁS ESTÁ REDONDAMENTE ENGANADO TCHÊ!!!
    JOGA PRA TORCIDA!!!
    PORQUE AINDA NÃO APRESENTOU O PROJETO DA CASTRAÇÃO QUIMICA PARA ESTUPRADORES???

  6. Caiçara do Litoral
    quinta-feira, 5 de outubro de 2017 – 13:07 hs

    Beto Fuscão. Apesar de soar como crueldade, não é. Vocês só pensam no infrator, nunca na vítima. A família do criminoso no Brasil tem salario detento, agora a família da vitima, sequer tem indenização do Estado, que deveria zelar pela sua segurança. Há uma inversão de valores que devem ser corrigidos. Primeiro os valores morais da Família que serão valorizados por Bolsonaro. Quando qualquer criminoso mata sucessivamente de 2 a 10 pessoas, será que isto é normal. É primeiramente certeza de impunidade, falta de educação básica para o cidadão e geração de condições dignas de emprego e desenvolvimento, a quais os PT sempre usou em seus discursos, mas nunca quis tornar realidade. Não devemos nos deixar intimidar pelos criminosos, eles que devem respeitar a sociedade e seus valores, senão correrão riscos sim, de serem castrados quimicamente, presos perpetuamente, pena de morte, corrupção deveria ser crime hediondo, pois tira recursos da saúde, educação, desenvolvimento, onde muitos e muitos morrem por falta deles. Estamos num momento de “choque de direita”, para acabar com muita coisa errada em nosso Brasil. Vivi nos tempos do regime militar (como a Globo tenta impor – Ditadura Militar – que nunca existiu) e como cidadão honesto, nunca tive problemas. Quem tiveram sérios problemas foram somente os anarquistas, os que queriam implantar um regime comunista, terroristas como a Dilma, que sequestrou e matou pessoas, artistas que os apoiavam defendendo uma pseuso liberdade, imprensa golpista, etc…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*