Barril de pólvora | Fábio Campana

Barril de pólvora

Painel, Folha de S. Paulo

Aécio Neves (PSDB-MG) não deve esperar uma recepção calorosa de parte de seus correligionários na volta ao Senado. Logo após a votação que lhe devolveu o mandato, ala do tucanato reativou a cobrança para que ele renuncie à presidência do partido –da qual já está afastado. O mineiro encontrará uma sigla ainda mais dividida e conflagrada. A dúvida é se, pessoalmente combalido, terá condições de evitar a implosão da legenda na análise da denúncia contra Michel Temer.

Integrantes do PSDB começaram a questionar se o partido “ainda faz sentido”. O grupo que defende a manutenção do apoio ao governo diz que a sigla está acéfala. Há quem pregue que um colegiado dos seis governadores assuma o controle.

Os governistas são contra a renúncia de Aécio. Ponderam que a saída do mineiro do comando da legenda abriria definitivamente o caminho para a reeleição de Tasso Jereissati (PSDB-CE), da ala anti-Temer.


Um comentário

  1. Erwin Schrödinger
    quarta-feira, 18 de outubro de 2017 – 8:22 hs

    O Aécio Neves é sempre criticado e odiado por PTistas. Não sei por que, já que ele e Lula são irmãos siameses na corrupção e na incompetência em fazer do Brasil um país decente. Lula e Aécio, a dupla que afundou o Brasil. Aécio é PT.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*