Segurança sai caro | Fábio Campana

Segurança sai caro

Nestes dias tumultuados no cenário político, principalmente em Brasília, a Câmara tratou de cuidar de sua segurança. Tendo em vista possíveis manifestações em votações de projetos e da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, tratou de garantir o estoque de munição para combater supostos atos de vandalismo. Sem licitação, o que é permitido, abasteceu o estoque de gás de lacrimogêneo, balas de borracha e granadas de luz e som. Valor da compra: R$ 289 mil.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*