Procurador critica cerveja nos estádios: 'Que não morra ninguém' | Fábio Campana

Procurador critica cerveja nos estádios: ‘Que não morra ninguém’

Procurador do Centro de Apoio Operacional da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, Ciro Expedito Scheraiber criticou a sanção do projeto que libera a venda de cerveja nos estádios do Paraná. Em entrevista à Banda B durante a tarde desta segunda-feira (25), ele disse que os políticos que votaram a favor do projeto não possuem “compromisso com o bem-estar da população”. A lei que regulamenta a venda de cerveja e chope nos estádios foi sancionada pelo governador Beto Richa durante a manhã.

Segundo Schraiber, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) tinha expectativa de veto, mas como ele não ocorreu, a busca agora é para comprovar a inconstitucionalidade do projeto. “Há uma flagrante inconstitucionalidade nesse projeto caso venha a se tornar lei, ele é ilegal, e o governador assinou com aprovação da Assembleia Legislativa. O que vamos fazer é levantar a inconstitucionalidade no Tribunal para que seja declarada e deixe de surtir efeito”, disse. As informações são da Banda B.

Para o procurador do MP-PR, os deputados que votaram a favor levaram em conta apenas o aspecto econômico do esporte em detrimento dos bons exemplos, que é o de um desporto que beneficie na formação do caráter de jovens. “Eles estão despreocupados com o bem-estar do cidadão no estádio, aquele que não compactua com o consumo de álcool nesses locais. No entendimento deles o Estatuto do Torcedor não proíbe a venda de bebida alcoólica, mas se não proíbe permite a venda de qualquer uma, destilada ou não. Esta lei só permite chope e cerveja, então os próprios políticos sabem que é inconstitucional e que a proibição existe. Acredito que muitas famílias não irão mais levar filhos pequenos aos estádios, porque comprovadamente vão aumentar os tumultos e a polícia também terá que gastar mais. Tomara que não morra ninguém”, argumentou.

O projeto aprovado pela Assembleia Legislativa foi proposto pelos deputados estaduais Luiz Cláudio Romanelli, Alexandre Curi, Stephanes Junior, Ademir Bier, Pedro Lupion, Márcio Pauliki, Tiago Amaral, Fernando Scanavaca, Márcio Nunes, Nelson Justus e Anibelli Neto, que também assinam a sanção.

Richa disse que, antes da sanção, analisou o comportamento de outros estados que já permitem a venda de bebidas alcoólicas dentro dos estádios. “Temos que combater qualquer violência de forma rigorosa, por isso o governo está a disposição para apoiar os clubes”, destacou o governador, ressaltando que nem todas as pessoas que a praticam atos violentos no estádio estão sob o efeito de álcool.

A expectativa é de que o projeto seja publicado no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (26) e já entre em vigor.


11 comentários

  1. Fala sério
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 21:36 hs

    Quando uma pessoa tem um salário acima de 25 mil pago pelo contribuinte consumidor não tem o que fazer, fica inventando e falando um monte de m…
    Esses almofadinha dos procuradores que vivem ar condicionado e cafezinho, tudo pago pelo contribuinte, sequer mostra um caso em quê teve alguma morte dentro do estádio em decorrência bebida alcoólica.
    Esses almofadinha sequer estão preohcupados com o empreendedor que vai gerar empregos e mais impostos.
    Esses almofadinha dos procuradores,

  2. Fala sério
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 21:37 hs

    Esses procuradores ganham um monte perundicalhos é um monte de benesses tudo pago pelo trabalho suado do contribuinte.

  3. Juca
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 22:17 hs

    No Brasil o preço deve ficar uns 40 reais o chopp 300ml

  4. Euzebio Tristão
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 22:21 hs

    o ministério publico continua a viver o vazio existencial…..

  5. Janaina Fernanda
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 22:44 hs

    Beto mais uma vez sentou na vara …porque qualquer briga ou rolo a culpa será das bwbidas e do Richa ..sentou na boneca e ferro no zoio

  6. Ágata Branc
    segunda-feira, 25 de setembro de 2017 – 22:45 hs

    Podiam morrer todos… não fariam falta… os bêbados e os que recebem o pixuleco

  7. Ferraz
    terça-feira, 26 de setembro de 2017 – 0:03 hs

    Me espanta o MP correr atrás disto, se meter na pouca diversão que o povo tem!!! Uma elite do funcionalismo que trabalha para aparecer na mídia, quando deveriam realmente fiscalizar a aplicação das leis em benefício do povo contribuinte que paga os altíssimos salários do “doutos” promotores e procuradores do MP! Acho que não entenderem seus papéis na república!!! Se o povo quer tomar cerveja enquanto assistem jogos de futebol, o que o Ministério Público tem com isto???? Passem amanhã…

  8. Paulo Tadeu Macedo Neves
    terça-feira, 26 de setembro de 2017 – 8:24 hs

    Provavelmente esse procurador vai ficar torcendo para que aja um confronto entre torcedores lá em Umuarama, irá dizer que a culpa é da bebida que foi vendida nos estádios daqui de Curitiba ou de Londrina.
    .

  9. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 26 de setembro de 2017 – 11:10 hs

    Não é a cerveja dentro do estádio. São os “tubões” mamados no entorno.

  10. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 26 de setembro de 2017 – 11:12 hs

    Repito: Funciona o livre arbítrio. Os bebuns sabem as consequências geradas pelo excesso.Fumo, já que de bêbado não tem dono.

  11. FALA SÉRIO
    terça-feira, 26 de setembro de 2017 – 12:03 hs

    Essas elites do funcionalismo público, que ganham salários polpudos com uma série de “adicionais”, pelo jeito nunca estiveram em um estádio de futebol.
    Isto porque, qualquer um pode observar que em volta dos estádios existem centenas de ambulantes e bares vendendo bebida alcoólica a vontade e muito barato em relação os preços dentro dos estádios.
    Ou seja, se o torcedor quer ficar alcoolizado, não será por conta da venda de bebida no interior do estádio.
    Resumindo, ou o Procurador almofadinha não tem um raciocínio lógico ou quer aparecer na mídia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*