Picler lamenta morte de Aloísio Surgik | Fábio Campana

Picler lamenta morte
de Aloísio Surgik

Morreu o professor de Direito Romano Aloísio Surgik, que foi professor na Universidade Federal do Paraná. Atualmente era professor da Uninter, adjunto da Universidade Tuiuti do Paraná, titular nas Faculdades Integradas Curitiba, professor contratado da Universidade do Contestado – SC, e professor titular da PUC do Paraná. O Chanceler da Uninter, Wilson Picler, emitiu nota lamentando a perda de Surgik. É o que segue:

É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento do Professor Aloísio Surgik. Sem dúvida, uma grande perda para a Ciência Jurídica do Brasil. A dedicação e a amizade que cultivamos com o iluminado mestre nos trazia, além da satisfação imensa e do prazer intelectual, um grande orgulho por ter o privilégio de contar com todo o seu brilho e inteligência no corpo docente da Uninter. Que Deus o receba com o mesmo amor que o senhor recebeu os seus milhares de alunos. Muito obrigado.

Wilson Picler
Chanceler da Uninter


3 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 28 de setembro de 2017 – 12:03 hs

    Um grande contador das histórias do direito romano. Contava o episódio do rapto das sabinas como ninguém mais sabia contar. Adeus, velho mestre.

  2. Macambúzio
    quinta-feira, 28 de setembro de 2017 – 12:40 hs

    Grande Professor Surgik, da FDC dos anos 80! Falei dele ontem a meu filho, que se prepara para o vestibular de direito! Antes de tudo, era um amigo, dentro e fora da sala de aula! Que Deus o tenha, caro Professor!!

  3. Rafael de Lala
    quinta-feira, 28 de setembro de 2017 – 13:19 hs

    O prof. Surgik, de fato, deu densa contribuição para o conhecimento das fontes do Direito, ao pesquisar a origem de nosso ordenamento jurídico no Direito Romano e sua progressão via povos visigodos da Península Ibérica (com o Direito das Ordenações).
    Por isso remanesce – na arena política – o equívoco original dos fundadores da República (e outros, até hoje): tentaram vestir num corpo de cultura jurídica romana, do direito codificado, uma cabeça anglo-saxonica (as instituições copiadas dos Estados Unidos).
    Fonte de crises sistemicas há 127 anos.
    Rafael de Lala, jornalista, do Centro de Estudos Brasileiros, do Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*