Perdas e danos | Fábio Campana

Perdas e danos

Painel, Folha de S. Paulo

O Trench Rossi Watanabe começou a sentir os efeitos do envolvimento de seu nome na polêmica delação da J&F. A Petrobras contratou a firma em outubro de 2014 para atuar em duas frentes: auxílio à auditoria interna e apoio à banca que faz sua defesa nos EUA. No início deste mês, a estatal avisou ao escritório que ele não deve mais se envolver em suas causas do exterior. O trato para o suporte na auditoria foi renovado por um mês. Tempo suficiente para que o Trench conclua o que iniciou.

O Trench foi acionado pela Petrobras para auxiliar o Comitê Especial da estatal, presidido por Ellen Gracie. O inferno astral da banca começou com a revelação de que ela havia contratado o ex-procurador Marcello Miller, pivô da crise entre a J&F, a PGR e o Supremo.

O desfecho do contrato do Trench com a Petrobras será alvo de deliberação do Conselho de Administração da estatal que, procurada, não quis se pronunciar. A banca, por sua vez, disse que não comenta assuntos referentes aos seus clientes.


Um comentário

  1. Abutre
    quinta-feira, 21 de setembro de 2017 – 10:56 hs

    Tudo armação, devem ter cobrado e recebido extorsivamente !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*