Pare, olhe, escute | Fábio Campana

Pare, olhe, escute

Da Banda B
Uma motorista se jogou do próprio carro em movimento após se assustar com a aproximação de um trem no bairro Hugo Lange, em Curitiba. Ela subia a Rua Jaime Balão quando percebeu a luz do outro veículo se aproximando. Sem conseguir engatar a ré do HB20, ela optou por se jogar pela porta.
À Banda B, a motorista comentou que não percebeu a chegada do trem. “Ele não fez nenhum barulho e a sinalização aqui também está ruim. Só percebi a luz e abri a porta”, disse.
Segundo o socorrista Alexandre, se ela não tivesse saído do veículo, poderia ter sofrido ferimentos mais graves. “É um perigo, o trem obviamente não tem como parar. Até que o carro não teve muito estrago pelo impacto do acidente”, comentou.
A reportagem entrou em contato com a America Latina Logistica (ALL), que informou que a motorista não respeitou a sinalização e cruzou a ferrovia no momento da passagem do trem. “O maquinista acionou os procedimentos de segurança, mas não foi possível evitar a colisão”, informou a empresa.
Na nota, a empresa ainda citou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que, em seu Art. 29, estabelece que a ferrovia é sempre preferencial. Já o Art. 212 estabelece que deixar de parar o veículo antes de transpor linha férrea é infração gravíssima, sujeito a multa.
Sobre a sinalização, a empresa informou que já propôs ao Município a formação de um comitê para discutir os assuntos da ferrovia em Curitiba.


4 comentários

  1. falido e ainda mal pago
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 10:49 hs

    Essa linha férrea é o maior atraso urbano de Curitiba. Só serve a fábrica de cimento em Rio Branco do Sul, faz um barulho infernal durante o dia, à noite e pela madrugada sem respeitar doentes, idosos e crianças. Polui o ar e atrapalha qualquer mobilidade de ambulâncias, bombeiros viaturas de polícias e por aí vai.
    Mas, inexplicavelmente, a classe política do pobre Paraná não se mexe para termos um desvio ferroviário afastando essa coisa para longe da cidade e da região metropolitana. O MP também não se incomoda com isso e a Justiça então, sempre está ao lado da ALL!
    Pasmem que nem a PTzada corrupta, nem o PMDB do Temer e Cia, nem a turma envolvida com a operação Quadro Negro se interessaram por uma obra que solucionasse o problema.
    Seria por causa da comissão para o caixa 2 ou para as contas no exterior ser pequena? Não houve acerto?

  2. Viezzer
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 11:13 hs

    Quem chegou primeiro, a linha do trem ou os moradores?

  3. Eloy Casagrande
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 11:16 hs

    Resido no Hugo Lange, perto da linha férrea, os trens passam a qualquer momento (de dia, de noite, de madrugada), apitam, fazem barulho, não respeitam ninguém. E muitos sinalizadores que indicam a chegada dos trens nos cruzamentos estão com defeito, ficam piscando no vermelho o tempo todo (deveriam ser acionados apenas quando o trem vai passar). Em resumo, ninguém resolve essa história, a empresa faz o que quer e quem fica no prejuízo é a população!

  4. daniel
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 15:10 hs

    Moro e trabalho nas redondezas, cruzo várias vezes os trilhos, e por várias vezes, principalmente a noite, já fui surpreendido pelo trem próximo a passagem, sem dar nenhum sinal sonoro, além do que, como já falado, as sinalizações de nada resolvem, vez que não funcionam devidamente….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*