O que Moro ainda vai decidir sobre Lula | Fábio Campana

O que Moro ainda vai
decidir sobre Lula

Da BBC

o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depôs pela segunda vez para o juiz federal Sergio Moro, em Curitiba. O novo depoimento, que durou cerca de duas horas, ocorreu quatro meses após o primeiro, em maio. Naquela ocasião, juiz e réu ficaram frente a frente por quatro horas e meia. Mas, desta vez, o objetivo foi diferente.

No primeiro depoimento, Lula foi ouvido como réu no âmbito de uma ação penal em que era acusado de ser beneficiário de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. O imóvel seria fruto de um acerto de corrupção com a empreiteira OAS. A sentença saiu em julho: o ex-presidente foi condenado por Moro a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Já desta vez, Lula depôs como réu em uma segunda ação penal. Ela trata da compra de um terreno em São Paulo, supostamente destinado ao Instituto Lula, e de um apartamento em São Bernardo do Campo, vizinho à residência do petista e que seria usado por sua família.
Conheça as diferentes ações penais contra Lula nas mãos de Moro:

Terreno em São Paulo
O que está em julgamento: suposta compra pela Odebrecht, com dinheiro de propina, de um terreno em São Paulo para o Instituto Lula, e de um apartamento em São Bernardo do Campo, para uso da família do petista. Lula é acusado pelo MPF de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Quando começou: a denúncia do MPF foi aceita por Moro em 19 de dezembro de 2016.
Status: ação penal está na fase de interrogatório dos réus. Já foram ouvidos Marcelo Odebrecht e Antonio Palocci, entre outros. Lula foi ouvido nesta quarta, às 14h.
O que diz a defesa: Lula jamais recebeu a propriedade ou a posse de qualquer dos imóveis indicados pelo MPF, muito menos em contrapartida de qualquer atuação em contratos firmados pela Petrobras.

Sítio de Atibaia
O que está em julgamento: reformas em um sítio em Atibaia, que supostamente pertenceria ao ex-presidente Lula, realizadas por Odebrecht e OAS com dinheiro de propina. Lula é acusado pelo MPF de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Quando começou: a denúncia do MPF foi aceita por Moro em 1º de agosto de 2017.
Status: esta semana terminou o prazo para a apresentação da defesa prévia dos réus. Em seguida, as testemunhas devem começar a ser ouvidas.
O que diz a defesa: também nessa ação penal não existe qualquer elemento mínimo que permita cogitar que Lula praticou qualquer dos crimes indicados pelo órgão acusador, não havendo justa causa para o seu prosseguimento.

Tríplex do Guarujá
O que foi julgado: compra e reforma de apartamento tríplex em Guarujá, litoral de São Paulo, pela construtora OAS, que seria destinado a Lula, e armazenamento de acervo presidencial. Lula foi acusado pelo MPF de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Quando começou: denúncia do MPF foi aceita por Moro em 20 de setembro 2016.
Status: sentença foi proferida em 12 de julho de 2017 e encaminhada para a 2ª instância – não há previsão para julgamento.
O que diz a sentença: Moro considerou que Lula ocultava a propriedade do tríplex no Guarujá, o que caracteriza o crime de lavagem de dinheiro. O imóvel e sua reforma teriam sido concedidos pelo grupo OAS ao ex-presidente como um “acerto de corrupção decorrente em parte dos contratos com a Petrobras”. Por outro lado, Lula foi inocentado da acusação relativa ao armazenamento de acervo presidencial.
O que diz a defesa: Lula é inocente. Por mais de três anos, Lula tem sido objeto de uma investigação politicamente motivada. Nenhuma evidência crível de culpa foi produzida, enquanto provas esmagadoras de sua inocência são descaradamente ignoradas. Este julgamento politicamente motivado ataca o Estado de Direito do Brasil, a democracia e os direitos humanos básicos de Lula.


4 comentários

  1. Sergio Silvestre
    quinta-feira, 14 de setembro de 2017 – 13:30 hs

    Então Campana,lá na postagem sobre o quadro negro vi uma defesa do governador brava num assunto mais picante que é roubo de verbas publica,mas um juiz se ater numa suposta moradia paga por outro e um terreno que nem é escriturado em nome do Lula e nem de sua instituição é para corar freiras,que vergonha me da esse juiz e esse tipo de justiça.

  2. juraci antonelli
    quinta-feira, 14 de setembro de 2017 – 18:12 hs

    cadeia pra pelegada

  3. rodrigues
    quinta-feira, 14 de setembro de 2017 – 19:11 hs

    Para o amestrado SS lulalau não mora em uma cobertura que foi dada pelo Bumlay, deixe de ser asno cara.

  4. Juca
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 15:51 hs

    SS Calça Frouxa, não comente no blog quando estiver noiado, entupido de maconha, cachaça vagabunda e cola de sapateiro!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*