Lava Jato no teatro | Fábio Campana

Lava Jato no teatro

Ah, enfim uma boa peça de ocasião. A noite de estreia da montagem nacional “Lava Jato, Comédia de Poder” tirou gargalhadas do público e provocou as “verdades” de coxinhas e mortadelas. Teve de tudo. De discurso de partido “dos meus amigos” a justiça ficando nua em cena, sendo “agraciada” com cédulas de dinheiro arremessadas por um grupo de políticos nada ortodoxos.

A peça, com 1h15 minutos de duração é puro humor ácido, com frases e falas conhecidas do povo em tempos de delação. O baile anual da República de Curitiba, é o ambiente onde a peça ocorre. Na “festa” políticos embriagados descobrem que seus celulares foram grampeados e “surtam”.

Enquanto trocam acusações e xingam os “grampeadores” do outro lado da linha, essa “quadrilha” discute temas, por assim dizer, nem um pouco republicanos. “É um retrato bem humorado desta triste e bizarra realidade que vivemos. É para provocar, para instigar, para incomodar. Em tempos de polarização, nada como uma comédia de poder, bem ácida, para quebrar a rotina”, revela o diretor da peça, o dramaturgo Cesar Almeida.

A peça fica em cartaz até dia 1º de outubro, no mini auditório do Teatro Guaíra, sempre de quinta a domingo, as 21h.

Serviço:

Inadequado para menores de 18 anos.

Local: Mini Auditório do Teatro Guaira

Rua Amintas de Barros, s/n

Bilheteria do Teatro Guaíra: Informações (41) 3304-7979 / 3304-7982

Vendas pelo disk ingressos: www.diskingressos.com.br (41) 3315-0808

De 14 de setembro a 1 de outubro.

Quinta a sábado – 21h, domingo – 19 horas

Direção: Cesar Almeida

Texto: Cesar Almeida, colaboração: Fernando Cardoso e Pedro Rodrigues Neto

Elenco: Ade Zanardini, Arthur Faustino, Loara Gonçalves, Andrea Stroppa, Douglas Lacerda, Jaqueline Sclipet, Monica Sledz, Pedro Rodrigues Neto, Fernando Cardoso e Cesar Almeida

Iluminação: Beto Bruel

Composição e Sonoplastia: Cesar Almeida

Figurinos e Direção de Produção: Fernando Cardoso

Realização: Rainha de Duas Cabeças e Serafim Cia. Teatral


3 comentários

  1. BETO
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 13:17 hs

    Hummm, de tanguinha azul calcinha kkkkk. Se é jeito de homem.
    Um Pais ausente de cultura, de respeito, de caráter, de honestidade. Um Pais de bananas que ainda acreditam em políticos língua de trapo e assistem a este tipo de pornochanchada.
    Mai 500 anos pra se tornar um Pais de primeiro mundo.

  2. Cesar
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 17:18 hs

    Pra emitir uma opinião é preciso assistir o espetáculo, ou não??? É só sair censurando como fizeram com a exposição em POA? Fascistas.

  3. Fernando Cardoso
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 17:28 hs

    Olá Beto, sou o ator em cena, e gostaria de saber onde você enxerga “calcinha”? Já foi ao oftalmologista? Será que tem enxergando tudo na sua vida com esse viés bifurcado? Estou usando uma sunga, e posso garantir que o recheio dela também é consideralmente assustador, como essa sujeira política que assola o país. Mais 500 anos para quem sabe nascerem humanos de verdades, e não figuras mesquinhas e hipócritas que estão interessada somente na sua pseudo verdade.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*