Jungmann quer explicações de general que falou em 'intervenção' | Fábio Campana

Jungmann quer explicações de general que falou em ‘intervenção’

Do Estadão

Diante da repercussão negativa das declarações do general da ativa Antonio Hamilton Martins Mourão que, na última sexta-feira, 15, em palestra, defendeu a possibilidade de intervenção militar, diante crise enfrentada pelo País, caso a situação não seja resolvida pelas próprias instituições, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, convocou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, para pedir explicações em relação às declarações do militar, para “orientá-lo quanto às providências a serem tomadas”.
Jungmann, em nota, no entanto, não explica que providências poderão ser tomadas. No fim de semana, ao tomar conhecimento do ocorrido, Jungmann relatou o fato ao presidente Michel Temer e avisou que deixou nas mãos do comandante a decisão sobre como conduzir o caso.

O general Villas Bôas, depois de ouvir as explicações do contexto da fala do general, que já protagonizou outro problema político em outubro de 2015, quando criticou o governo e a ex-presidente Dilma Rousseff, disse ao Estado que o problema estava “superado”.

Pelo Regulamento Disciplinar do Exército, Mourão pode ser punido por dar declarações de cunho político, sem autorização de seu superior hierárquico. A decisão de tentar abafar o caso, no entanto, parece não ter agradado a Jungmann, que queria algum tipo de sinal de que esse tipo de declaração não pode ser tolerado.

O Exército, no entanto, está tentando contornar a situação, para evitar subir a temperatura e criar um problema ainda maior já que Mourão tem uma forte liderança na tropa. Além, de acordo com integrantes do Alto Comando, Mourão está exatamente seis meses de deixar o serviço ativo e é melhor não colocar lenha no fogo, criando um novo problema.

Em 2015, por conta das suas declarações, o general Mourão perdeu o Comando Militar do Sul e foi transferido para a Secretaria de Economia e Finanças, um cargo burocrático. Agora, diante da pressão política, Mourão pode ser retirado de sua função, como medida paliativa para que seu gesto não sirva de incentivo a outras manifestações.

Mas o assunto ainda está sendo objeto de discussão porque há quem entenda que puni-lo, de alguma forma, poderia levar a uma leva de solidariedade, criando um clima político considerado “desnecessário”, neste momento, transformando a Força em vidraça.

A fala de Mourão, desagradou integrantes do Alto Comando que consideram que o pronunciamento “inoportuno” e que ele trouxe para os quartéis um problema que não é da classe militar, criando uma verdadeira “saia justa” para ele e para o comandante. Em nota, o ministro Raul Jungmann afirmou que “as Forças Armadas estão absolutamente subordinadas aos princípios constitucionais, à democracia, ao estado de direito e ao respeito aos Poderes constituídos”. O ministro acrescenta ainda que “há um clima de absoluta tranquilidade e observância aos princípios de disciplina e hierarquia constitutivos das Forças Armadas, que são um ativo democrático de nosso País”.

O comandante do Exército, general Villas Bôas, segundo a nota da Defesa, estava em tratamento em São Paulo, quando foi “convocado” pelo ministro Jungmann “para esclarecer dos fatos relativos a pronunciamento de membro do Alto Comando do Exército e orientá-lo quanto às providências a serem tomadas”.


11 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 12:39 hs

    Papo furado. General de escrivaninha de gabinete. Não comanda tropa. Vai para a reserva em seis meses ou menos. É só antecipar a aposentadoria ou mandar chefiar o museu do Exército, como se fazia antigamente.

  2. A CULPA É DO FHC
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 12:50 hs

    O COMANDO DO EXÉRCITO ESTÁ ATENTO AS MOVIMENTAÇÕES POLÍTICAS NO BRASIL.

    OCORRE QUE OS “MILICOS” QUEREM QUE A SITUAÇÃO SE DEGRADE AINDA MAIS PARA SEREM CHAMADOS, CONCLAMADOS, QUE SEJA IMPLORADO A SUA ATUAÇÃO.

    AI SIM!!

    VÃO SUBIR O MORRO, DETONAR A BANDIDAGEM. OS VERDES OLIVA SÃO PROGRAMADOS PARA MATAR ENTÃO FARÃO O SERVIÇO DE LIMPEZA

    NA POLÍTICA LEI DE SEGURANÇA NACIONAL, QUEM NÃO GOSTAR CAI FORA.

    VAMOS VER SER O PAÍS VOLTA A SER UM EXEMPLO DE ORDEM E PROGRESSO.

    DEPOIS DE SARNEY, COLLOR, FHC, LULA, DILMA E TEMER SÓ ROUBALHEIRA, FALTA DE EDUCAÇÃO, DESRESPEITO, A DEMOCRACIA TAMBÉM EXIGE LIMITES, MORAIS, SOCIAIS, ÉTICOS E POLÍTICOS.

    FORA A CORRUPÇÃO.

    SE O PREÇO FOR A FORÇA DO EXERCITO ASSIM SEJA, CASO CONTRÁRIO TEREMOS MAIS DO MESMO

  3. Veredito
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 12:57 hs

    Do quê o Ministro da Defesa está com medo? Da verdade das palavras do general Mourão? Jugmann fala que o país caminha na normalidade. Só se for na casa dele, pois de resto o clima é de absoluta insegurança. Basta ao Ministro da “Defesa” dar uma olhadinha nos números do crimes que acontecem, todos os dias, em todo o país. Aproveite ministro, e sinta o pulso, se já não o fez, dos brasileiros. Mande fazer uma pesquisa popular e pergunte o que os brasileiros pensam em uma ação militar séria. DESTAS PARA BOTAR NA CADEIA OS QUE ROUBAM DOS BRASILEIROS DE MALAS CHEIAS. e POR ÚLTIMO. FAÇA UMA PESQUISA ENTRE SEUS PARENTES E PERGUNTE SE ELES ESTÃO SEGUROS E SE SÃO CAPAZES DE SAIR ÀS RUAS COM UM CELULAR NAS MÃOS À NOITE. DEPOIS DECIDA!

  4. terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 13:13 hs

    CADA XAROPE COM PODERES NESSA REPÚBLICA DE BANANAS HEÍN!!!

  5. AMARAHAL
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 13:37 hs

    SOU A FAVOR DE UMA INTERVENÇÃO MILITAR PARA EXPURGAR OS BANDIDOS E OS COMUNISTAS !

  6. ferreira
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 13:43 hs

    GENERAL MOURÃO JÁ MITOU, TEM MILHARES DE ADMIRADORES NA SOCIEDADE DE BEM E NAS REDES SOCIAIS. SE FOR PREJUDICADO NA CASERNA POR SUA FALA SEGURAMENTE SERÁ ELEITO PRESIDENTE DA REPÚBLICA. ENTÃO, É SÓ ESPERARMOS…….
    É UMA QUESTÃO DE TEMPO .

  7. ciro
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 14:25 hs

    EM BREVE INICIAREMOS O DIA CANTANDO O HINO NACIONAL, NAS ESCOLAS TEREMOS O O PAVILHÃO NACIONAL SENDO HASTEADO, BANDIDOS COMO OS INTEGRANTES DO CONGRESSO NACIONAL E PLANALTO TERÃO POUCO MAIS DE MEDO DE METER A MÃO NO JARRO E NO BOLSO DO BRASILEIRO. TODO APOIO AO GENERAL MOURÃO

  8. CURITIBANO
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 16:34 hs

    …………… a verdadeira História do Brasil está recomeçando agora, isto é, recomeçou na 6ª feira 15/09/2017 em uma Loja Maçônica,quando o brilhante e patriota General Mourão mostrou ao Brasil que aqui ladrões e comunistas não se criarão……tiveram sua chance de melhorar o país mas fizeram ao contrário melhoraram sua vidas locupletando-se do Estado e Ponto Final ou melhor Solução Final .

  9. terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 19:51 hs

    Os politicos,confundiram. Democracia com direitos de roubarAcabou governos eleitos indiretamente,vieram os eleito diretamente pelo povo. Comecou a roubalheira ,certo e prender todos os ex-presidentes eleitos pelo povo,pois todos estao envolvidos com roubos.Viva a Democracia Brasileira.

  10. Rock
    terça-feira, 19 de setembro de 2017 – 20:30 hs

    Esses valentões que pedem intervenção militar vão virar neném da mamãe se isso acontecer e correm todos para debaixo de sua saia

  11. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 20 de setembro de 2017 – 12:42 hs

    -Não leio os jornais de grande circulação pois possuem tendências político partidária.
    -As declarações do general Antonio Hamilton Martins Mourão foram mal interpretadas e estas interpretações erradas ganharam volume de repercussão por ser um militar de alta patente. A palestra que ministrou foi em ambiente onde o clima era de uma conversa quase que descontraída entre o General e o público. Não era um evento oficial do Governo ou mesmo do Exército Brasileiro. O general apenas manifestou sua opinião como cidadão brasileiro preocupado com o destino do Brasil, assim como todo cidadão honrado, trabalhador e pagador de impostos também manifesta. Sua palestra foi marcada pelo seu grande conhecimento de causa que possui atento à quase todas as variáveis que fazem parte do cotidiano brasileiro.
    -Se fosse um “general do MST” chamada Stédile não traria problema algum…assim como anda fazendo há várias décadas e em toda oportunidade que aparece.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*