Em última sessão, Janot diz que STF foi firme e não se acovardou | Fábio Campana

Em última sessão, Janot diz que STF foi firme e não se acovardou

do G1

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se despediu nesta quinta-feira (14) dos ministros do Supremo Tribunal Federal enaltecendo o papel da Corte na Operação Lava Jato. Em discurso na sua última sessão no comando do Ministério Público Federal, disse ainda que o Brasil é como um paciente que “convulsiona no processo de combate à corrupção”.

O mandato de Janot à frente da Procuradoria Geral da República termina no próximo dia 18. Ele será substituído pela procuradora Raquel Dodge.

Nos últimos quatro anos, Janot participou dos julgamentos do Supremo como o representante do Ministério Público. No discurso de despedida, que durou cerca de 5 minutos, ele fez uma breve retrospectiva de sua atuação junto à Corte e do trabalho de combate à corrupção.

“Confrontados com nossos problemas seculares, a imagem que se revelou de nossa organização política é pungente. O Brasil, tal qual um paciente submetido a gravoso tratamento, convulsiona no processo curativo do combate à corrupção”, afirmou Janto.

Ele também disse que a Corte foi “firme” e “não se acovardou” diante das investigações e processos da Operação Lava Jato.

“Foram tantos momentos que citar todos excederia em muito o tempo que não vou roubar. A retidão dessa casa na condução do processo jurídico criminal mais complexo e delicado que essa casa já vivenciou: a Lava Jato. O STF foi firme, respeitou as leis e a Constituição, mas não se acovardou sob o pálio da pseudoprudência em que facilmente se escondem os interesses vis”, disse Janot.


3 comentários

  1. Palpiteiro
    quinta-feira, 14 de setembro de 2017 – 19:28 hs

    Vai pro lixão da história da república de bananas.

  2. Luiz Artur Gapski Pereira
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 10:46 hs

    Este Rodrigo Janot é fera mesmo hem?

  3. Azedo
    sexta-feira, 15 de setembro de 2017 – 11:54 hs

    Bundão, devia ter começado “a limpa” há muito tempo!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*