Fiscalizando a prefeitura | Fábio Campana

Fiscalizando a prefeitura

Na semana passada os vereadores de Curitiba encaminharam 17 requerimentos de pedido de informações à prefeitura. Entre as indagações formuladas estão questionamentos sobre a reposição de materiais furtados em equipamentos públicos; preocupações quanto a questões viárias, como o binário formado pelas ruas Mateus Leme e Nilo Peçanha e quem são os funcionários do município que estão à disposição do Governo do Estado e outros órgãos.
Veja a lista completa.

Cristiano Santos (PV) e Professor Silberto (PMDB) encaminharam requerimentos solicitando informações sobre o Grupo Cinco Sistemas Integrados de Segurança Sociedade LTDA, terceirizada que faz a vigilância patrimonial de diversos prédios públicos em Curitiba. Em seu requerimento Santos pergunta qual a periodicidade das vistorias nesses durante a noite, se os vigilantes entram no pátio vistoriar ou apenas passam em frente aos locais e se existe alguma penalização que possa ser imposta a empresa por atendimento ineficiente.

Professor Silberto indaga ao Executivo qual o período de vigência do referido contrato, quais os equipamentos públicos abrangidos e qual a responsabilidade da empresa contratada em caso de dano aos prédios sob seus cuidados. Também perguntou se existe disposição contratual exigindo a contratação de seguradora para garantir a restituição ou a restauração dos bens.

Mestre Pop (PSC) também encaminhou dois requerimentos sobre reposição de itens  furtados de prédios públicos. Um deles, referente ao Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Hermes de Macedo, no bairro Campo de Santana, que segundo o vereador foi furtado há mais de um ano. O outro indaga sobre o prazo de reposição de bens furtados quando a creches ou escolas são assaltadas. “Há muitas instituições que foram assaltadas recentemente e diretores estão aguardando a reposição dos bens”.

O binário formado pelas ruas Mateus Leme e Nilo Peçanha gerou um requerimento por parte do vereador Goura (PDT), que pergunta se o projeto de tal obra foi desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc) ou feito por empresa contratada pelo Município. Nesse caso, ele pergunta quem venceu a licitação e quanto asfalto está programado para atender a execução do projeto e outros detalhes.

Tico Kuzma (PROS) solicitou informações sobre a implantação de semáforo para pedestres no cruzamento das vias Nossa Senhora Sagrado Coração e Emanoel Voluz, no bairro Pinheirinho. O mesmo vereador pergunta sobre a previsão de abertura da rua Emanuel Kant entre as ruas Miguel Gaska e Fernandes Vieira, no Capão Raso.

Mestre Pop requereu informações sobre quando será feita a implantação de asfalto na rua João Goulart, entre as ruas Alfredo Safanelli e Maria da Luz Batista, no bairro Tatuquara. O mesmo vereador pediu informações sobre qual empresa está fornecendo asfalto para a Prefeitura de Curitiba.

Noemia Rocha pergunta sobre quem são os funcionários de municipalidade que estão à disposição do Governo do Estado e outros órgãos. Além disso ela quer saber a data a partir de quando eles foram postos à disposição; os nomes dos funcionários, seus cargos, matrículas, lotação e total de vantagens. Em outro pedido, ela quer saber sobre a destinação das multas constantes da lei municipal 8.984/1996, que trata dos pichadores. Também pede a indicação dos valores arrecadados nos últimos cinco anos; indicação de qual fundo municipal tem concentrado a destinação das receitas; explicitação da aplicação e do destino das receitas.

Mestre Pop solicita informações sobre o funcionamento dos banheiros no Ginásio Santa Rita nos finais de semana. Pop também indaga quando haverá melhorias na infraestrutura do Moradias Janaína, no bairro Campo de Santana . O mesmo vereador solicita informações sobre a quantidade de médicos na Unidade de Saúde Rio Bonito. “Segundo moradores da região, há muito tempo de espera na Unidade de Saúde”, diz Pop.

Ele também apresentou um requerimento de pedido de informações perguntando por que o módulo policial da rua Eduardo Pinto da Rocha, ao lado do Condomínio Araçá, foi retirado do local. “Os moradores da região informaram que o local está abandonado, com janelas e portas quebradas, e gostariam muito que continuasse o atendimento do módulo, para melhor segurança do bairro”, diz.

Goura (PDT) pede informações sobre a situação do acervo de obras de arte da Fundação Cultura de Curitiba. Ele quer saber a especificação e a quantidade de itens, seu mapeamento, cópia do último relatório técnico sobre o acervo, quantas obras estão expostas para apreciação pública e se há alguma ação prevista para tratar da questão.

O vereador também requer informações sobre o Fundo de Urbanização de Curitiba. “Desde a majoração da tarifa do transporte coletivo, quanto foi arrecadado, mês a mês, para a renovação dos veículos do transporte coletivo?”, pergunta ele, que também questiona se não é de responsabilidade contratual das empresas a compra de tais veículos.

As informações são da Câmara Municipal de Curitiba.


4 comentários

  1. Paulo Tadeu Macedo Neves
    segunda-feira, 18 de setembro de 2017 – 11:56 hs

    Deveria o atual prefeito dar o nome de todos os pelegos do Fruet que estavam a disposição da Câmara de Vereadores na administração passada, os quais apenas recebiam os famosos ” capilés ” e nem apareciam para trabalhar.

  2. Maquiavel
    segunda-feira, 18 de setembro de 2017 – 12:48 hs

    KKKKK…se o heliogábalo responder a todas estas perguntas…terá renunciar (o que seria um bom negócio, principalmente porque o Dudu já esta pronto), porque com certeza vai mostrar

  3. Maquiavel
    segunda-feira, 18 de setembro de 2017 – 12:48 hs

    KKKKK…se o heliogábalo responder a todas estas perguntas…terá renunciar (o que seria um bom negócio, principalmente porque o Dudu já esta pronto), porque com certeza vai mostrar que não tem administração na cidade…

  4. OBRAS DE ARTE
    segunda-feira, 18 de setembro de 2017 – 13:37 hs

    Afinal de contas, não vejo ninguém, nem oposição, nem situação, tentando esclarecer a respeito das obras de arte que dizem que foram apropriadas pelo atual prefeito de forma irregular. Ninguém tem mais interesse em resolver isso? Passou a campanha? O povo não precisa saber a verdade não é mesmo. Que tal o líder o prefeito que sempre esteve ao lado do antigo prefeito, esclarecer isso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*