Governo de MG não paga parcela do salário dos servidores | Fábio Campana

Governo de MG não paga parcela do salário dos servidores

Por falta de “fluxo de caixa” o governo de Minas gerais, que tem sob o comando o petista, Fernando Pimentel, informou nesta quinta-feira que não depositou a segunda parcela dos salários de servidores que ganham acima de R$ 3 mil. “Informamos que, apesar do esforço do governo estadual em cumprir o organograma da escala de pagamentos, não foi possível depositar, nesta quinta-feira (21), 100% dos valores referentes à segunda parcela dos salários dos servidores do Executivo, em função de fluxo de caixa insuficiente”, informou por meio de nota a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF). Com informações de Marcelo Fonseca no Estado de Minas.

Com dificuldades em fechar as contas, o governo de Minas adotou o escalonamento no salário de parte dos servidores desde fevereiro do ano passado. Funcionários que recebem até R$ 6 mil têm o salário parcelado em duas vezes. Aqueles que recebem acima desse valor tem o salário parcelado em três vezes.


4 comentários

  1. Luiz Antônio
    sexta-feira, 22 de setembro de 2017 – 9:06 hs

    No Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, para o funcionalismo público, o mês, às vezes, tem mais de 30 dias.
    No Paraná e São Paulo há uma melhor gestão sobre suas contas.

  2. JUSTICEIRO
    sexta-feira, 22 de setembro de 2017 – 11:43 hs

    Isso não é verdade, Luiz Antonio. Não se trata de melhor gestão de contas e sim, da excelente arrecadação de tributos fruto especialmente do trabalho dos agricultores e da exportação de seus produtos. É bom lembrar que em útima ocasião o atual Governador adotou medida simplista, simplesmente aumentou os impostos ao invés de cortar custos e privatizar as várias empresas que o Estado possui.

  3. Edson Barbosa Nunes
    sexta-feira, 22 de setembro de 2017 – 14:35 hs

    Minas Gerais é o segundo maior arrecadador e o mais rico em subsolo que é explorado, indo nossas riquezas para exportação. Está administrado ao sabor dos corruptos. Como é dificil um corrupto atacar outro da mesma estirpe, precisamos intervenção federal. Estamos precisando que as riquezas sejam administradas para evitar desatre. Ninguém deve pesar que não há mineiro corajoso para atacar com inteligência. A força só funciona se tiver inteligência e a desastrosa administração sem transparência é vista como abuso. Estamos esperando oficiais superiores das FFAA a fim de evitar que o povo necessite atacar os corruptos. A ASLEMG fica conversando fiado e nada mais. Esperar as urnas poderá não acontecer. Intervenção Federal por iniciativa do RMP será difícil porque ganham muito e não sofrem atraso. Só as armas para dar jeito. O povo só vê respeito nas FFAA e o resto merece é bala na cara mesmo. Viva 1964, mas os petralhas mudaram em BH até o nome do Viaduto Castelo Branco sem respeitar o valor do insigne General.

  4. Luiz Antônio
    sexta-feira, 22 de setembro de 2017 – 16:35 hs

    Caro amigo Justiceiro, a solução nem sempre está em quem arrecada mais.
    Veja o caso do Rio de Janeiro, que arrecadou horrores com royalties do petróleo, mas não soube administrar os recursos, gastou mal, o tempo de fartura passou e teve renegociar suas dívidas.
    Atrás de uma má gestão aparecem outros problemas, hoje, por exemplo, o exército está nas ruas do Rio para tentar dar um pouco de paz aos cidadãos cariocas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*