Cafajestada adicional | Fábio Campana

Cafajestada adicional

Neste episódio deplorável do “vazamento” do processo da Operação Quadro Negro, antes mesmo de sua homologação pelo Supremo Tribunal Federal, destaca-se uma cafajestada adicional que procurou atingir a vice governadora Cida Borghetti, e seu marido, o ministro da Saúde Ricardo Barros. A demonstrar o claro interesse político, adicionou-se um elemento que nada tem a ver com a Operação Quadro Negro que investiga fatos de 2014.

Para enxovalhar também a imagem da vice e do ministro penduraram uma denúncia extemporânea, de troca de cargo por uma propina que teria sido paga ao irmão da Cida Borghetti, Juliano Borghetti, em 2015. Tão estapafúrdia que carece de credibilidade. Por três meses, Juliano Borghetti trabalhou na empresa Valor do empreiteiro criminoso Eduardo Lopes de Souza, que não teve dúvidas e tomou esse fato como prova de sua acusação, cumprindo assim o desejo de quem quer que seja de envolver o ministro e a vice no imbróglio.

Cida Borghetti é candidata ao governo no ano que vem. Terá a força de quem procura a reeleição, pois deverá estar no cargo nessa época. Essa condição certamente deve ajudar a refletir sobre qual o interesse de incluir essa ficção na delação premiada do crápula empreiteiro. Cida Borghetti e Ricardo Barros contestaram com firmeza a acusação. Mas todos sabem que esse tipo de manobra, que tem laivos de sordidez, gera prejuízos insanáveis. Eles já constituíram advogados para tratar do caso, inclusive da ação que devem mover contra os “divulgadores” a serviço de obscuros interesses.


6 comentários

  1. Francisca
    terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 17:22 hs

    Esse “empresário” tá igual o Joesley, fazendo espetáculo com nomes de figuraa públicas com o objetivo de obter melhores acordos para se livrar da cadeia. Acorda meu povo.

  2. xiru de palmas
    terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 18:17 hs

    Prefiro esperar provas mas não esqueçam que o “irmão distante” da vice-governadora e tambem um “CUNHADO MUITO DISTANTE” DO MINISTRO É UM LARÁPIO DA MAIOR ENVERGADURA POIS ATÉ UMA CANA JÁ ANDOU PUXANDO.
    Eu não daria a ele um emprego de R$ 15.000,00, pois alem de não ter classificação profissional nenhuma o seu curriculo deve ser uma MARAVILHA.
    Penso cá com meus botões: porque eu iria empregar em minha empresa uma pessoa desta espécie e com um salário deste tamanho (levante a mão qual o trabalhador sério e honesto que consegue um emprego destes com facilidade – um executivo na área financeira de muiltinacional ganha R$ 14.000,00).SÓ PODE TER TRETA.
    Por parte do empresário, por parte dos parentes distantes, que com certeza solicitaram este em prego, ou de ambas as partes.
    NINGUEM É INOCENTE NESTA TRETA, até uma prova muito bem fundamentada em contrário.

  3. Rock
    terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 19:23 hs

    Vazamento só é justo e verdadeiro se for contra alguém do PT., do contrário é mentira.

  4. Leo
    terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 20:08 hs

    “AGORA” é “empreiteiro criminoso”.
    Sei.

  5. Sergio Silvestre
    terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 21:29 hs

    Como tentam desqualificar a delação,até as curruilas e as gralhas que infestam os pinheirais sabem que essa grana era para campanhas tucanas e para bolsos de alguns malandros como primos distantes e cunhados de ministro.

  6. Toribio
    quinta-feira, 7 de setembro de 2017 – 12:43 hs

    Trabalhou na empresa por 3 meses fazendo o que exatamente entao?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*