Audiências da Operação Pecúlio serão retomadas nesta sexta | Fábio Campana

Audiências da Operação Pecúlio serão retomadas nesta sexta

do Paraná Portal, com informações da BandNews Curitiba

As audiências de defesa do ex-prefeito de Foz do Iguaçu, oeste do Paraná, Reni Pereira vão ser retomadas na próxima sexta-feira, dia 22. Testemunhas convocadas pela defesa do réu da Operação Pecúlio – que investiga um suposto esquema de corrupção na Prefeitura da cidade – iriam depor no último dia 15.

No entanto, Reni Pereira sofreu um acidente doméstico e os depoimentos à Justiça Federal foram suspensos. Segundo o advogado do ex-prefeito, Vítor Sprada, a nova fase de depoimento é uma parte importante no processo da Operação, principalmente, porque pelo menos sete corréus (acusados no mesmo esquema) devem ser ouvidos.

“Essa retomada dessa fase de instrução é muito importante porque serão ouvidos aqueles que foram denunciados junto com o ex-prefeito por supostamente fazer parte de uma organização criminosa… e esclarecer alguns contornos que foram narrados pelos réus colaboradores dentro de ambas as denúncias”, explicou.

De acordo com informações preliminares, o ex-prefeito teria caído em casa e batido a cabeça. Por causa do trauma, o réu da Operação Pecúlio, teve que passar por exames e ficar em observação no hospital. Após o incidente, Reni Pereira teria voltado para casa na tarde de ontem (domingo, 17). Desde abril de 2016, mais de 100 testemunhas foram ouvidas.

Na quarta fase da Operação, em julho do ano passado, Reni Pereira teve a prisão e o afastamento do cargo decretados. Porém, três meses depois, o STF (Supremo Tribunal Federal) revogou a prisão de Reni. Segundo a defesa do ex-prefeito, a nova etapa de interrogatórios é uma forma de mostrar que depoimentos anteriores não condizem com a realidade da Administração Municipal de Foz do Iguaçu.

“Ouvimos, até agora, mais de 100 testemunhas. É um processo muito complexo que envolve muitas situações da administração municipal de Foz do Iguaçu. Trouxemos para a instrução criminal diversos depoimentos de servidores técnicos da prefeitura, servidores que não tem compromisso político com nenhum partido, e esses depoimentos nos mostraram que muitas das situações narradas pelos réus colaboradores não condizem com a realidade”, disse.

A Operação Pecúlio investiga um esquema de corrupção e fraude em licitações nas áreas de obras e de saúde em Foz do Iguaçu. Até o momento, a ação totalizou cento e quarenta e nove réus e o cumprimento de mais de duzentos e sessenta mandados judiciais. A Polícia Federal (PF) estima que pelo menos trinta milhões de reais foram desviados dos cofres públicos.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*