'Agradeço por ter me livrado dessa gente inescrupulosa' | Fábio Campana

‘Agradeço por ter me livrado dessa gente inescrupulosa’

Lembram de Marcelo Calero?
Ele era ministro da Cultura quando deixou o cargo, afirmando ter sido pressionado pelo então ministro da Secretaria Geral de Governo, Geddel Vieira, para liberar, pelo Iphan da Bahia, um prédio onde havia adquirido um apartamento.
Pois bem, depois do novo escândalo de ontem, com malas e caixas com R$ 51 milhões num apartamento de Salvador, Calero usou as redes para desabafar: “Não posso dizer que estou propriamente surpreso. Mas, de fato, é espantoso”.
“Que República é essa? Depois de testemunhar o ‘homem de mais inteira confiança’ de Temer correndo com mala de dinheiro, hoje descobre bunker do seu mais próximo ministro, por quem pediu favores especiais, e que se vangloriava de amizade de décadas. Detalhe: envolvidos soltos”.
E ainda: “Demais, demais! Agradeço a Deus todos os dias pelo discernimento, pela fortaleza, e por ter me livrado dessa gente inescrupulosa”.


4 comentários

  1. Juca
    quarta-feira, 6 de setembro de 2017 – 11:04 hs

    É isso aí. Tem mesmo de agradecer a Deus por ter te iluminado e orientado a tomar a decisão certa de afastar-se desses bostas!

  2. Russel
    quarta-feira, 6 de setembro de 2017 – 11:06 hs

    Marcelo Calero é filhote do Quadrilhão do PT. E como tal é um desmemoriado.
    Não daria para acumular tanta grana em menos de um ano de Governo Temer. Esta bufunfa vem lá do Ministério da Integração, quando Geddel serviu a Lula e, graças a esta primorosa colaboração continuou na intimidade de Dilma. E foi ficando. Convenhamos que no universo de rapinagem do Regime Lula este “escândalo” de notas mal guardadas fica parecendo um troco. Convém lembrar que, sem derramar uma gota de água no infernal semiárido o Lula e Dilma pagaram R$ 9 bilhões às empreiteiras – quase todas coincidentes com as que atuaram no Petrolão.

  3. Russel
    quarta-feira, 6 de setembro de 2017 – 11:15 hs

    Marcelo Calero é da turma dos “artistas”. Esteve trabalhando nas Olimpíadas, mas com certeza não comprou votos para Lula exibir seu legado. Talvez ele nunca tenha ouvido falar em transposição do Rio São Francisco, aquela obra iniciada por Dom Pedro II e que, pelo talento de Duda Mendonça, transformou Lula no Redentor das Águas, o deus do semiárido. Só em dois lotes da obra de R$ 9 bilhões, contrados pela OAS, orçados em R$ 680 milhões a Lava Jato em poucos dias levantou uma propina de R$ 220 milhões. Pouco mais de quatro vezes o que foi encontrado no apê do “amigo do Geddel”. Mas o rapaz se mostra enojado como alguém que sai de um casulo de pureza, não a ponto de fazer um comentário razoável, mas faz coro com o populacho, patético: “Que República é esta”.

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 6 de setembro de 2017 – 13:50 hs

    Estranho o comportamento de certos animais,eles provam a caça ve que ela está podre ai se fartam.Com esse tipo de animal não serve para compor rebanhos nem manadas,são errantes e indecifráveis, as vezes eles se mutilam com paus roliços e ficam por meses com ardor nas pregas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*